Reino Unido quer imunizar todos os adultos antes de dividir vacina com outros países

·1 minuto de leitura
Vacinação contra Covid-19 em Blackburn

LONDRES (Reuters) - O Reino Unido se concentrará em vacinar toda a sua população adulta antes de poder fornecer quaisquer vacinas excedentes a outros países, como a vizinha próxima Irlanda, disse o ministro britânico do Comércio, Kwasi Kwarteng, nesta terça-feira.

Mais de 30 milhões de britânicos já receberam a primeira dose de vacinas contra Covid-19, a distribuição mais rápida da Europa, e o objetivo é oferecê-las a todos os adultos até o fim de julho.

Mas o Reino Unido se envolveu em uma desavença pública com a União Europeia, onde o programa de vacinação é muito mais lento, por causa do suprimento de doses.

"Acho que nosso foco tem que ser tentar manter o Reino Unido seguro, queremos trabalhar cooperativamente, assim como com outros países, mas a maior prioridade é a distribuição de vacinas", disse Kwarteng ao canal Sky News.

Ele afirmou que seu país está trabalhando com a UE para tentar fazer com que suas populações sejam vacinadas e que não se trata de uma "situação competitiva".

Mas ao ser indagado se o Reino Unido pode ser capaz de ajudar a Irlanda, ele respondeu: "Se houver doses excedentes de vacina, então podemos compartilhá-las, mas não há excedentes no momento, ainda temos um número grande para vacinar."

O Reino Unido firmou acordos para comprar dezenas de milhões de vacinas de vários fornecedores, e na segunda-feira a GlaxoSmithKline anunciou detalhes de planos para a parte final de seu processo de fabricação de até 60 milhões de doses da vacina Novavax para uso em solo britânico.

(Por Guy Faulconbridge e Michael Holden)