Reino Unido responde Belarus com expulsão de dois diplomatas

·1 minuto de leitura
O ministro britânico das Relações Exteriores, Dominic Raab
O ministro britânico das Relações Exteriores, Dominic Raab

O ministro britânico das Relações Exteriores, Dominic Raab, anunciou nesta terça-feira (10) a expulsão de dois diplomatas bielorrussos do Reino Unido, em reação a uma medida semelhante adotada no dia anterior por Belarus contra dois diplomatas britânicos.

"O Reino Unido não se deixará intimidar pelas tentativas do regime (do presidente Alexander) Lukashenko de impedir que nos pronunciemos sobre as eleições manipuladas e a desprezível violência contra o povo bielorrusso", afirmou Raab no Twitter.

"Hoje expulsamos dois diplomatas bielorrussos em resposta à expulsão injustificada de diplomatas britânicos", acrescentou.

Na segunda-feira, Belarus declarou dois diplomatas britânicos "persona non grata" por "atividades incompatíveis" com seu cargo, segundo afirmou o porta-voz do ministério das Relações Exteriores, Anatoli Glaz.

De acordo com a televisão pública bielorrussa ONT, o militar Timothy Wight-Boycott e a número dois da embaixada britânica Lisa Thumwood "coletaram informações sobre a situação política no país e sobre os protestos".

Londres classificou ontem sua expulsão como "totalmente injustificada", afirmando que seus diplomatas observavam "legitimamente" as manifestações em Minsk.

Na segunda-feira, a oposição bielorrussa denunciou uma nova onda de repressão e a prisão de mais de 1.000 pessoas no domingo, durante a manifestação semanal contra Lukashenko.

O líder, no poder desde 1994, se vê confrontado por um movimento popular inédito desde sua polêmica reeleição em agosto, considerada fraudulenta por seus adversários e parte da comunidade internacional.

Dezenas de milhares de cidadãos pedem sua renúncia todas as semanas nas ruas, mas Lukashenko resiste até agora a essa pressão cidadã e intensificou as prisões de opositores e forçou o exílio para outros.

No final de setembro, o Reino Unido, em coordenação com o Canadá, anunciou sanções contra oito autoridades bielorrussas, Lukashenko entre elas, pela repressão da oposição.

acc/jz/aa