Reino Unido vai ajudar exportações do Cazaquistão a contornar Rússia e busca minerais críticos

ASTANA (Reuters) - O Reino Unido ajudará o Cazaquistão a desenvolver rotas de exportação contornando a Rússia, disse o ministro das Relações Exteriores britânico, James Cleverly, em visita ao país da Ásia Central neste sábado, onde também assinou um memorando sobre o fornecimento de minerais críticos.

Cleverly disse que Londres valoriza a posição de Astana - que tradicionalmente tem sido aliada de Moscou - no conflito ucraniano. O Cazaquistão tem se recusado a apoiar a invasão russa ou reconhecer sua anexação de territórios ucranianos.

"O Reino Unido aprecia muito a posição consistente e de princípios do Cazaquistão em apoiar a integridade territorial da Ucrânia e seu desejo de trazer uma resolução à guerra em linha com a Carta da ONU", disse ele em um briefing.

Cleverly, que se encontrou com o presidente do Cazaquistão, Kassym-Jomart Tokayev, e várias outras autoridades de alto escalão, disse ter discutido as interrupções nas exportações de petróleo do Cazaquistão – a maioria das quais passa pela Rússia – e maneiras de apoiar o desenvolvimento de rotas alternativas, como o chamado Corredor Médio.

Essa rota cruza o Mar Cáspio, Azerbaijão, Geórgia e Turquia, e requer investimentos significativos para aumentar sua capacidade, embora o Cazaquistão já tenha começado a desviar alguns embarques de petróleo em direção a ela.

Cleverly e diplomatas cazaques disseram ter assinado um memorando sobre minerais críticos, como metais de terras raras, mas não forneceram detalhes sobre isso.

(Reportagem de Tamara Vaal)