Relatório da China sobre avião que caiu com 132 a bordo deixa perguntas sem resposta

·1 min de leitura

BAURU, SP (FOLHAPRESS) - A China anunciou nesta quarta-feira (20) que concluiu a versão preliminar do relatório sobre a queda do avião que caiu há um mês, matando todas as 132 pessoas a bordo.

O documento, no entanto, não esclarece as circunstâncias do incidente, que segue intrigando especialistas devido à posição quase vertical em que a aeronave caiu e à alta velocidade com que perdeu altitude.

Segundo o comunicado da Administração de Aviação Civil da China (CAAC, na sigla em inglês), as duas caixas-pretas continuam seriamente danificadas, mas sendo analisadas por especialistas em busca de respostas para as causas da queda. Dados dos dois dispositivos foram enviados a Washington, nos EUA, informou a agência.

O relatório também indica que os pilotos do avião não responderam aos contatos dos controladores de voo assim que a primeira alteração no trajeto foi identificada.

Segundo a CAAC, a última chamada regular entre os controladores e a aeronave ocorreu às 14h16, no horário local. Menos de cinco minutos depois, o avião começou a perder altitude. O controle de tráfego aéreo tentou estabelecer contato com a tripulação, mas já não teve resposta.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos