Relator da Lava Jato no STF rejeita revogação de prisão de ex-ministro Palocci

Ex-ministro Antonio Palocci 26/09/2016 REUTERS/Rodolfo Buhrer

BRASÍLIA (Reuters) - O ministro Edson Fachin, relator da operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), rejeitou o pedido da defesa do ex-ministro de governos petistas Antonio Palocci para revogar a prisão preventiva a que está submetido sob a alegação de excesso de prazo.

Ex-titular da Casa Civil de Dilma Rousseff e da Fazenda de Luiz Inácio Lula da Silva, Palocci foi detido em setembro em uma fase da Lava Jato.

Desde novembro, o ex-ministro --que também coordenou a campanha de Dilma em 2010-- é réu por corrupção e lavagem de dinheiro em processo conduzido pelo juiz Sérgio Moro, responsável pela Lava Jato na primeira instância.

Em sua decisão desta quinta-feira, Fachin destacou que o Superior Tribunal de Justiça (STJ) vai julgar no próximo dia 18 o pedido de liberdade de Palocci e, por essa razão, o STF não poderia tomar uma decisão antecipadamente.

(Reportagem de Ricardo Brito)