Relator do Orçamento deve ser o responsável pela PEC da Transição

O nome mais cotado para assumir a relatoria da PEC da Transição (para abrir espaço no orçamento de 2023 para as promessas de Luiz Inácio Lula da Silva) é o do relator geral do Orçamento, o senador Marcelo Castro (MDB-PI), segundo interlocutores ouvidos pelo GLOBO.

Como ele é o responsável pelo Orçamento, conseguirá equilibrar as duas propostas, facilitando a tramitação da PEC. A decisão final sobre a relatoria ficará a cargo do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), com quem Lula (PT) se reúne na quarta-feira.

A opção pela PEC já foi repassada a parlamentares aliados a Lula, que ainda esperam receber a versão final do texto para ter a delimitação dos projetos que serão incluídos. Ele será apresentado em reunião marcada para a manhã da quarta-feira, com Marcelo Castro.

A expectativa é de que a PEC comece a tramitar no Senado, e será assinada pelo líder do PT na Casa, senador Paulo Rocha (PT-PA), além de outros parlamentares de diferentes partidos. Para agilizar o processo, há uma defesa pelo nome de Castro na relatoria, já que ele trabalharia simultaneamente na PEC e na peça orçamentária para 2023.

O coordenador da transição, o vice-presidente Geraldo Alckmin, terá um encontro com o presidente da Comissão Mista de Orçamento (CMO), deputado Celso Sabino (União-PA) na tarde desta terça-feira, e o relator Marcelo Castro.