Relator do orçamento diz que quem passa fome 'não pode esperar' reformas

Julia Lindner 
·1 minuto de leitura

BRASÍLIA - Eleito relator do Orçamento de 2021, o senador Márcio Bittar (MDB-AC) disse nesta quarta-feira que as pessoas que passam fome no País “não podem esperar” a aprovação das reformas. Segundo ele, é preciso encontrar uma solução conjunta para viabilizar uma nova rodada do auxílio emergencial e ao mesmo tempo fazer sinalizações pela retomada da agenda econômica com a inclusão de Propostas de Emenda à Constituição (PEC) emergenciais na peça orçamentária.

— Eu me elegi defendendo essa agenda, só que a retomada da agenda econômica e da agenda das reformas, as pessoas que precisam comer não vão esperar. Então eu já disse desde o ano passado que elas (reformas) precisam caminhar juntas agora é fundamental como sinal de responsabilidade que ao apresentar a peça orçamentária, se dentro dela estiver a solução para os brasileiros que ainda precisam do estado, tenha também as PECs emergenciais, dos gatilhos, que esteja dentro — disse Bittar a jornalistas após a instalação da Comissão Mista de Orçamento (CMO).

Para ele, a inclusão do benefício e do ajuste fiscal na proposta “sinaliza com clareza a retomada da agenda econômica e o cuidado com brasileiros que ainda precisam do Estado”.