Relator de recurso de Flordelis defende cassação da deputada

·1 minuto de leitura

BRASÍLIA — Relator de um recurso apresentado pela deputada Flordelis (PSD-RJ) contra a decisão do Conselho de Ética de cassar seu mandato, o deputado Gilson Marques (Novo-SC) defendeu nesta quinta-feira a rejeição do recurso e, portanto, a cassação da parlamentar.

Após a decisão do Conselho de Ética, Flordelis recorreu à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Caso o recurso seja negado na comissão, a cassação ainda terá que passar pelo plenário da Câmara. Flordelis é ré, acusada de ser mandante da morte do marido, o pastor Anderson do Carmo, em junho de 2019.

A defesa de Flordelis afirmou que houve um cerceamento da defesa e que o relator no Conselho de Ética, Alexandre Leite (DEM-SP), seria suspeito para analisar o caso, entre outros questionamentos. Os argumentos, contudo, foram rebatidos pelo relator na CCJ, que ainda disse ver indícios "robustos" para a perda de mandato:

— Esse relator entendeu que todos os indícios anteriores e posteriores ao suposto cometimento de crime pela deputada estariam mais do que robustos e comprovados para decretar a perda de mandato — afirmou Gilson Marques.

A advogado de Flordelis, Janira Rocha, criticou o fato da deputada estar sendo julgada na Câmara antes da ação penal a qual ela responder ser concluída, e citou que outros 50 parlamentares também respondem a processos criminais:

— Existem 50 parlamentares nessa Casa que têm processos criminais e que estão sendo respeitados em seus direitos fundamentais e humanos. Então, a única coisa que a gente pede é exatamente isso.

Após a fala do relator e da advogado, o deputado Orlando Silva (PCdoB-SP) pediu vista, e por isso o recurso não será votado na CCJ nesta quinta.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos