Relatos de assalto geram insegurança em foliões no centro do Rio

·2 min de leitura

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - Relatos de furtos e assaltos, especialmente no período da noite, têm gerado insegurança e exigido cuidado dos foliões que procuram blocos de Carnaval no centro do Rio.

O medo de ser vítima de um assalto tem sido verbalizado em grupos de WhatsApp nos quais os foliões procuram informações atualizadas sobre os blocos.

Em um deles, na noite desta sexta-feira (22), pessoas buscavam saber se haveria cortejo do Tecnobloco, desfile que costuma sair nas madrugadas. Um jovem disse que gostaria de ir, mas que tinha receio de ser assaltado na procura pelo bloco.

O folião Pedro Curvello, 28, foi furtado na noite desta sexta no Cais do Valongo, na região portuária. Ele conta que estava distraído quando uma pessoa o abraçou por trás e pegou a carteira que estava em seu bolso. Quando acusou o suspeito, ele diz que sofreu uma tentativa de agressão.

"Na mesma hora vieram outros quatro indivíduos para me agredir, minha sorte que meu amigo me puxou. Um deles rasgou minha blusa por pura maldade", afirma.

Segundo Pedro, na delegacia um policial disse que ele até teve sorte, porque os criminosos estão assaltando drogados e fazendo uso de armas brancas.

O folião reclama da falta de policiamento e afirma que havia mais segurança quando os blocos eram oficiais, com organização da cidade pela prefeitura. Ele também diz que a ausência de banheiro químico leva as pessoas a se arriscar mais para urinar em ruas desertas.

Depois da experiência negativa, Pedro afirma que só voltará aos blocos no ano que vem. "Uma noite que era para ser boa e tranquila foi bem tensa."

Nos grupos de WhatsApp, foliões relataram ainda assaltos na praça XV e na cinelândia, também no centro do Rio, região que tem concentrado os blocos.

Em nota, a Polícia Militar informa que mobilizou mais de 10 mil agentes para atuar, de forma extraordinária, tanto na capital como em outras cidades turísticas do estado.

"Somente a região central da capital terá um reforço extra de 3.291 policiais militares, com a missão de patrulhar o entorno do Sambódromo, onde haverá desfiles de quarta-feira a domingo, como também de outras áreas, como Central do Brasil, Lapa e Boulevard Olímpico", diz a corporação.

Também em nota, a Guarda Municipal afirmou que "atua em apoio às autoridades policiais mediante flagrantes, que são encaminhados para as delegacias das áreas onde acontecem as ocorrências".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos