Preso por pedofilia, José Dumont integrou elenco de 'Pantanal' e faria novela do Globoplay

Ator José Dumont como Coronel Eudoro na novela
Ator José Dumont como Coronel Eudoro na novela "Nos Tempos do Imperador". (Foto: Globo/João Miguel Júnior)

Aos 72 anos, o ator José Dumont foi preso em flagrante nesta quinta-feira (15), no Rio de Janeiro, pela Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima. De acordo com a assessoria de imprensa da Polícia Civil do Estado, ele foi autuado pelo crime de "armazenamento de imagens de sexo envolvendo crianças".

Escalado para integrar o elenco de "Todas as Flores", primeira novela do Globoplay, o ator paraibano ganhou notoriedade ao protagonizar "Morte e Vida Severina" em 1977, e se tornou conhecido por todo o país por seus trabalhos no cinema, no teatro e na TV.

Com a investigação do crime, a Globo informou que ele havia sido contratado especificamente para a trama do streaming, mas já foi cortado do elenco. "Nenhum comportamento abusivo e criminoso é tolerado pela empresa, ainda que ocorra na vida pessoal dos contratados e de terceiros que com ela tenham qualquer relação", diz um trecho do comunicado enviado pela emissora à imprensa.

Durante sua longa carreira, José Dumont estrelou "Tudo Bem" (1978), "Lampião e Maria Bonita" (1982), "Os Trapalhões e o Mágico de Oroz" (1984), "Memórias do Cárcere" (1984) e "A Hora da Estrela" (1985). Ele também esteve no elenco de "Maria - Mãe do Filho de Deus" (2003), "Olga" (2004) e "2 Filhos de Francisco" (2005).

Nas novelas, Dumont também esteve na primeira versão de "Pantanal" (1900), participou de "Corpo a Corpo" (1984), "America" (2005), "Os Mutantes: Caminhos do Coração" (2008), "I Love Paraisópolis" (2015), "Velho Chico" (2016) e "Nos Tempos do Imperador" (2021).

Nos últimos anos, Dumont atuou em diversas séries da Globo e também no streaming como "Sob Pressão", "Segunda Chamada" e "Onde Nascem os Fortes". Na Netflix, ele integrou o elenco de "Cidade Invisível", sobre o folclore brasileiro.