Relembre a carreira de Ana Moser, nova ministra do Esporte

Primeira mulher a comandar o ministério do Esporte na pasta recém-inaugurada no governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, do PT, Ana Moser assumiu o cargo na manhã desta quarta-feira. Ela afirmou que a missão é mais difícil do que "Brasil e Cuba", fazendo referência a um clássico do vôlei e revelou que adotará a postura "séria e focada" que tinha dentro de quadra. Ela também foi a primeira ex-atleta a ser nomeada para o ministério desde Pelé, que foi ministro extraordinário do governo Fernando Henrique Cardoso, entre 1995 e 1998.

Ana Moser começou a jogar vôlei na infância na cidade de Blumenau (SC), onde nasceu. Aos 16 anos, se mudou para São Paulo para jogar pelo Transbrasil/Pinheiros e também foi convocada para a seleção infantojuvenil. A partir de 1987, com 17 anos, passou a fazer parte da equipe principal, e disputou as Olimpíadas de Seul em 1988 (o Brasil terminou em sexto lugar) e 1992, em Barcelona (4º). Em 1991, foi medalhista de prata nos Jogos Pan-Americanos de Havana.

A partir de 1994, com Bernardinho no comando da seleção, o Brasil começou a colher os frutos de uma geração vitoriosa. Em seis anos, a equipe venceu três Grand Pix (além de uma prata e um bronze) e três Sul-Americanos, e chegou no pódio do Mundial (prata), das Olimpíadas (bronze em 1996 em Atlanta e 2000 em Sydney) e da Copa dos Campeões (bronze).

Em clubes, Ana Moser foi dez vezes campeã paulista entre 1985 e 1997 (por Transbrasil/Pinheiros, Sadia, Colgate/São Caetano e Leite Moça/ Sorocaba, nesta ordem), tetracampeã da Liga Nacional de Clubes e pentacampeã do Sul-Americano. Teve sua carreira abreviada por lesões no joelho, e parou de jogar em 1999, depois de fazer parte da campanha que conseguiu a vaga para as Olimpíadas de 2000.