Relembre o ritmo de nomeação de ministros por Lula na transição de 2002

***ARQUIVO*** BRASÍLIA, DF, 12.12.2002 - O presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (segundo à esq.) após anúncio dos nomes de José Dirceu (esq.) para o Ministério da Casa Civil, Henrique Meirelles, para a Presidência do Banco Central, e de Antonio Palocci Filho (à dir.) para o Ministério da Fazenda, na Granja do Torto, em Brasília, em dezembro de 2002. (Foto: Lula Marques/Folhapress)
***ARQUIVO*** BRASÍLIA, DF, 12.12.2002 - O presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (segundo à esq.) após anúncio dos nomes de José Dirceu (esq.) para o Ministério da Casa Civil, Henrique Meirelles, para a Presidência do Banco Central, e de Antonio Palocci Filho (à dir.) para o Ministério da Fazenda, na Granja do Torto, em Brasília, em dezembro de 2002. (Foto: Lula Marques/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Há 20 anos, quando Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ganhou sua primeira eleição para presidente da República, ele demorou mais de um mês para anunciar os primeiros nomes a compor seu ministério.

"Meu papel é o de maestro", ele disse na ocasião. "Se dependesse da minha vontade, lançaria um ministro por dia."

Já no dia do segundo turno daquela eleição, 27 de outubro, a Folha de S.Paulo dava como certo apenas um nome --o do cientista político André Singer, que assumiu o cargo de porta-voz no primeiro governo do PT.

No começo de novembro de 2002, Lula disse que iria anunciar todo seu ministério de uma só vez. Um mês depois da eleição, pediu paciência.

Os primeiros nomes revelados pelo então presidente eleito foram Antonio Palocci, na Fazenda, e Marina Silva, no Meio Ambiente, em 10 de dezembro de 2002. Hoje setores da sociedade cobram pressa de Lula para revelar o titular da economia --em 2002, levou 44 dias após a vitória nas urnas.

Outros ministros foram divulgados a conta-gotas até o anúncio da lista completa, em 23 de dezembro daquele ano, a dois dias do Natal.

Neste ano, o comitê de transição de Lula é quase cinco vezes maior do que o formado em 2002. Vice-presidente eleito agora, Geraldo Alckmin (PSB) já anunciou cerca de 300 integrantes, divididos em 31 grupos.

Há 20 anos, a equipe era bem mais enxuta. Foram indicados 50 nomes, distribuídos em cinco grupos temáticos, com preferência por perfis considerados técnicos à época, coordenados por Antonio Palocci.

No total, em 2002, foram nomeados os comandantes de 25 ministérios, 8 secretarias e 3 cargos de confiança (porta-voz, corregedor-geral e advogado-geral da União)

RELEMBRE O RITMO DE NOMEAÇÃO DE MINISTROS POR LULA EM 2002

Antonio Palocci (10.dez.2002), ministro da Fazenda

Marina Silva (10.dez.2002), ministra do Meio Ambiente

José Dirceu (12.dez.2002), ministro da Casa Civil

Henrique Meirelles (12.dez.2002), presidente do Banco Central

Celso Amorim (13.dez.2002), ministro das Relações Exteriores

Roberto Rodrigues (13.dez.2002), ministro da agricultura

Luiz Fernando Furlan (13.dez.2002), ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior

Gilberto Gil (17.dez.2002), ministro da Cultura

Márcio Thomaz Bastos (19.dez.2002), ministro da Justiça

Luiz Dulci (19.dez.2002), secretário-geral da Presidência

Luiz Gushiken (19.dez.2002), secretário de Comunicação

Tarso Genro (19.dez.2002), secretário de Desenvolvimento Econômico e Social

Nilmário Miranda (20.dez.2002), secretário de Estado dos Direitos Humanos

Benedita da Silva (20.dez.2002), ministra da Assistência e Promoção Social

Cristovam Buarque (20.dez.2002), ministro da Educação

Humberto Costa (20.dez.2002), ministro da Saúde

Jaques Wagner (20.dez.2002), ministro do Trabalho e Emprego

Dilma Rousseff (20.dez.2002), ministra de Minas e Energia

Ciro Gomes (23.dez.2002), ministro da Integração Nacional

Guido Mantega (23.dez.2002), ministro de Planejamento, Orçamento e Gestão

José Graziano (23.dez.2002), ministro de Segurança Alimentar

Roberto Amaral (23.dez.2002), ministro de Ciência e Tecnologia

Miro Teixeira (23.dez.2002), ministro de Comunicações

José Viegas Filho (23.dez.2002), ministro da Defesa

Miguel Rossetto (23.dez.2002), ministro de Desenvolvimento Agrário

Agnelo Queiroz (23.dez.2002), ministro do Esporte

Olívio Dutra (23.dez.2002), ministro de Cidades

Ricardo Berzoini (23.dez.2002), ministro da Previdência

Andersno Adauto (23.dez.2002), ministro de Transportes

Walfrido Mares Guia (23.dez.2002), ministro do Turismo

Emilia Fernandes (23.dez.2002), secretária de Direitos da Mulher

Ricardo Kotscho (23.dez.2002), secretário de Imprensa e Divulgação da Presidência

Waldir Pires (23.dez.2002), corregedor-geral da União

Álvaro Ribeiro da Costa (23.dez.2002), advogado-geral da União

Jorge Armando Félix (23.dez.2002), ministro do Gabinete de Segurança Institucional

André Singer (23.de.2002), porta-voz da Presidência da República