Relógio de titânio para profundidades extremas é nova aposta da Rolex

Relógio pode ser usado em grandes profundidades (Divulgação)
Relógio pode ser usado em grandes profundidades (Divulgação)
  • Rolex cria relógio de titânio de R$ 138 mil;

  • Acessório pode ser usado por mergulhadores em grandes profundidades;

  • Ele é 30% mais leve do que o que o lançamento mais famoso da marca no segmento.

Já pensou em usar um relógio que aguenta descer até 10.900 metros de profundidade na água? O novo Rolex Oyster Perpetual Deepsea Challenge é o primeiro relógio de titânio da grife com essa capacidade.

Criado para mergulhadores que gostam de experimentar aventuras profundas, o acessório tem o calibre interno 3230, com certificação Superlative Chronometer e uma reserva de marcha de 70 horas. O relógio deve custar US$ 26.000 (R$ 138 mil, na cotação atual) no varejo.

Essa não é a primeira vez que a marca aposta no segmento. A Rolex já fez parcerias com mergulhadores famosos, além de colaborações com empresas. No passado, o modelo Deepsea chegou até a acompanhar o famoso cineasta e explorador James Cameron em uma histórica descida na Fossa das Marianas em 2012

Dez anos após o experimento, diversos outros produtos foram criados com uma tecnologia parecida. O Deepsea surge como uma homenagem tanto ao mergulho de Cameron quanto ao do oceanógrafo Jacques Piccard e do tenente da Marinha dos EUA Don Walsh, a bordo do Trieste em uma viagem de 1960 na Fossa das Marianas

O produto é 30% mais leve do que o que Cameron levou para para as profundezas, mesmo medindo 50 mm de largura x 23,3 mm de espessura. Para suportar a pressão, ele conta com válvula de escape de hélio e o sistema patenteado Ringlock da Rolex, que aumenta ainda mais a capacidade da caixa de sobreviver a grandes devidas.