Remédio experimental contra ebola está mais perto de chegar ao mercado

(Arquivo) As pessoas que sofrem um ataque cardíaco vivem mais quando tomam um quarto da dose de betabloqueadores usualmente prescrita

O composto ZMapp, droga experimental contra o ebola, ganhou nesta quinta-feira o status de "fast-track" (aceleração de promoção comercial) pela Administração de Alimentos e Fármacos (FDA, na sigla em inglês) dos Estados Unidos - o que pode acelerar sua chegada ao mercado.

Larry Zeitlin, presidente das farmacêuticas LeafBio e Mapp Biopharmaceutical, chamou a decisão da FDA de "marco importante".

O ZMapp foi usado para tratar alguns dos profissionais de saúde infectados com o vírus ebola durante a última epidemia que afetou o oeste da África, embora o remédio ainda não tivesse passado por um teste clínico de larga escala.

Nem todos os pacientes que usaram a droga sobreviveram, mas quem se curou credita o sucesso ao ZMapp.

Um teste clínico do ZMapp está sendo realizado nos países afetados pelo ebola no oeste africano.

A droga está em desenvolvimento há mais de uma década, mas ela é derivada de folhas de tabaco e a empresa disse que há poucas quantidades da droga disponíveis.

Antes de receber o status de "fast-track", o ZMapp já havia conseguido a designação de "medicamento órfão", que prevê incentivos regulatórios e financeiros para incentivar o desenvolvimento do remédio.

"Estamos esperançosos de que este passo acelere o acesso ao ZMapp uma vez que sua eficácia e segurança estejam demonstradas pela FDA", afirmou Kevin Whaley, CEO da LeafBio e Mapp Biopharmaceutical, sediada em San Diego, Califórnia.