Remessas de gás russo para a Europa caem e dificultam tentativa de reabastecer estoques

Por Nina Chestney

LONDRES (Reuters) - O fornecimento de gás da Rússia para a Europa pelo gasoduto Nord Stream 1 caiu ainda mais nesta quinta-feira, e Moscou afirmou que mais atrasos nos reparos podem levar à suspensão de todo o fluxo, colocando um freio na corrida do continente para reabastecer seu estoque de gás.

O fluxo irregular ocorre enquanto líderes da Alemanha, Itália e França visitam a Ucrânia, que pressiona por entregas mais rápidas de armas para se defender das forças russas, e busca apoio para a iniciativa de se juntar à União Europeia.

A estatal russa Gazprom disse que irá reduzir o fornecimento de gás pela segunda vez nos últimos dias pelo Nord Stream 1, que se estende abaixo do Mar Báltico até a Alemanha. A última redução corta o fornecimento para apenas 40% da capacidade do gasoduto.

O porta-voz do Kremlin Dmitry Peskov disse que as reduções no fornecimento não são premeditadas e estão relacionadas a questões de manutenção, em referência a comentários de que a Rússia não conseguia garantir o retorno de equipamentos enviados ao Canadá para consertos.

(Reportagem de Giuseppe Fonte, em Roma; Alexandra Schwarz-Goerlich, em Viena; Jan Lopatka, em Praga Prague; Madelaine Chambers, em Berlim; e Nina Chestney, em Londres)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos