Renan Calheiros apresenta projeto para anistiar hackers da Vaza Jato e quer urgência em proposta

FÁBIO ZANINI
·1 minuto de leitura
*ARQUIVO* BRASÍLIA, DF,  09.10.2019 - O senador Renan Calheiros (MDB-AL). (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
*ARQUIVO* BRASÍLIA, DF, 09.10.2019 - O senador Renan Calheiros (MDB-AL). (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O senador Renan Calheiros (MDB-AL) apresentará nesta quarta (10) projeto para anistiar os hackers acusados de vazar as mensagens entre procuradores da Lava Jato e o ex-juiz Sergio Moro.

Ele espera que a decisão do STF que garantiu a Lula o acesso aos diálogos dê impulso à proposta.

O projeto prevê isentar as seis pessoas denunciadas pelo Ministério Público sob acusação de invadir os celulares de investigadores

Na justificativa do documento, Calheiros alega que os hackers apenas deram "divulgação" dos diálogos, o que "haverá de contribuir em futuro próximo para o aperfeiçoamento das instituições judiciais".

Diz ainda que os envolvidos já pagaram "preço alto", pela exposição midiática e por terem sido detidos.

O senador reconhece que não é possível reconhecer como "lícitas" as ações dos invasores mas que foi graças a elas que se conheceu "reais motivos e dissimulações" dos que se "se arvoravam na condição de paladinos da Justiça, juntamente​ com o chefe do esquema, o até então impoluto juiz Sérgio Moro".

Desafeto da Lava Jato, Renan, novo líder da maioria no Senado, espera conseguir urgência para que a proposta seja votada direto em plenário. Há expectativa de que a senadora Kátia Abreu (PP-TO) seja a relatora.

Ao Painel, da Folha de S.Paulo, a parlamentar disse que espera acelerar a tramitação da proposta. "Não podemos punir quem ajudou a abrir os olhos da nação para ilícitos da Lava Jato", avaliou Kátia.