Renan Calheiros faz apelo a Neymar: "Não concorde com a realização dessa Copa América no Brasil"

·3 minuto de leitura
Brazilian Senator Renan Calheiros looks on during a meeting of the Parliamentary Inquiry Committee (CPI) to investigate government actions and management during the coronavirus disease (COVID-19) pandemic, at the Federal Senate in Brasilia, Brazil May 25, 2021. REUTERS/Adriano Machado
Renan Calheiros fez apelo para que Neymar se oponha à Copa América (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
  • Renan Calheiros se opôs à realização da Copa América no Brasil

  • Relator da CPI da Covid pediu para que Neymar, principal jogador da seleção, se posicione contra a competição

  • Omar Aziz, Humberto Costa e Otto Alencar também se colocaram contra o evento esportivo no Brasil

Antes de iniciar as perguntas à médica Nise Yamaguchi, o relator da CPI da Covid, Renan Calheiros (MDB-AL), se posicionou contra a realização da Copa América no Brasil. Ele ainda fez um apelo ao camisa 10 da seleção, Neymar Jr., pedindo que o jogador não aceite que a competição aconteça no país. 

"É inacreditável que o governo federal queira sediar a Copa América aqui no Brasil, no exato momento em que a pandemia se agrava e enchem como nunca os nossos cemitérios e as nossas UTIs", disse Calheiros. "E a terceira onda começa a chegar. Seria transformar essa Copa em campeonato da morte." 

Leia também

"Já que nós não podemos fazer um apelo ao presidente da República, não podemos fazer um apelo ao ministro da Saúde, já que não podemos fazer um apelo à CBF, que tem se transformado em negacionista e até irresponsável por querer patrocinar esse evento, eu quero, nessa poucas palavras, me dirigir à Seleção Brasileira. Aos seus jogadores, ao seu treinador, ao Neymar. Neymar, eu queria dirigir uma palavra a você: não concorde com a realização dessa Copa América no Brasil! Não concorde. Não é esse o campeonato que nós precisamos agora disputar, nós precisamos disputar o campeonato da vacinação. É esse campeonato que nós precisamos disputar, ganhar e você precisa marcar gols para que esse placar seja alterado", pediu. 

Segundo Renan Calheiros, no campeonato da vacinação, o Brasil ocupa um dos piores lugares, enquanto no campeonato da morte, "nós somos campeões, o segundo país em número de mortes". "Não permita entrar em campo nessa Copa América, Neymar, enquanto seus amigos, seus parentes, seus conhecidos continuam a morrer e a vacina não chega no nosso país", apelou o relator da CPI da Covid. 

Outros senadores se posicionaram contra Copa América

A sessão da CPI da Covid desta terça-feira (1) começou com declarações se senadores contra a realização da Copa América no Brasil. A primeira fala foi do senador Humberto Costa (PT-PE) e foi acompanhada pelo presidente da comissão, Omar Aziz (PSD-AM), e também por Otto Alencar (PSD-BA).

"Felizmente, alguns governadores, como do meu estado, a governadora do Rio Grande do Norte também, já disseram que não querem esse futebol, esse jogo lá. Porque, como explicar à população que vamos realizar um ato de circo em um momento em que falta pão e falta saúde para nossa população?", questionou. "Queria fazer esse registro e sei que não estou sozinho."

O presidente da CPI, Omar Aziz, concordou com a colocação do petista. "Realmente, é uma sem lógica fazer um evento internacionais. Não temos o que comemorar! Nós temos é que lamentar", afirmou. Inicialmente, Aziz disse que não havia achado que haveria problema em realizar a competição, já que há jogos de torneios nacionais pelo Brasil, mas, depois, fez uma autocrítica.

"Comemorar o que? Se o Brasil for campeão da Copa América, vai mudar o que pra gente? O que significa isso?", questionou.

Otto Alencar foi na mesma linha que Omar Aziz e Humberto Costa e pediu que o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), se manifeste sobre a realização da competição. Segundo Alencar, quem também deveria ser ouvido sobre a questão é o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga.

Convocação de Rogério Caboclo

O vice-presidente da CPI da Covid, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), apresentou requerimento nesta segunda-feira (31) para convocar o presidente da CBF, Rogério Caboclo, a depor. Randolfe quer que Caboclo esclareça quais medidas foram tomadas para garantir a segurança sanitária dos brasileiros e das delegações estrangeiras durante a realização da Copa América, no próximo mês.

Nesta terça, a CPI ouve a médica Nise Yamaguchi. A suspeita é que ela seja uma integrante do chamado "gabinete paralelo", que aconselhava o presidente Jair Bolsonaro paralelamente.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos