Renan Calheiros faz prognóstico desanimador sobre possível governo Bolsonaro

O senador Renan Calheiros durante sessão plenária do Senado, em Brasília (DF). Foto: Fátima Meira/Futura Press

Reeleito para mais um mandato como senador, Renan Calheiros mira a presidência da casa. Conforme reportagem do “Poder 360”, o político comentou com alguns interlocutores que já dispõe de ao menos 40 votos para ocupar o cargo. Para ser eleito presidente da casa é preciso 41 votos.

Além disso, Renan tem visto com pessimismo o desempenho de um possível governo e Jair Bolsonaro (PSL). Segundo Renan, uma administração bolsonariana deve começar a fazer água já no segundo semestre de 2019. Ele também tem se movimentado para fazer oposição desde o começo de um mandato de Bolsonaro.

FHC diz que porta para Haddad enferrujou
TSE manda Facebook retirar vídeo sobre Manuela d’Ávila
Eleição de Bolsonaro será o começo do fim da Amazônia

Um dos mais habilidosos políticos da história recente do país, Renan deve bater de frente com Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) que vai para o seu primeiro mandato na câmara alta. Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), outro rebento do presidenciável liberal, disse recentemente que o seu pai não aceitaria apoiar uma candidatura de Renan para à presidência do Senado.

Renan respondeu a declaração com elegância e deu o tom de como vai ser tensa sua relação com um eventual governo bolsonariano. “No Senado, todos somos iguais e temos a mesma legitimidade conferida pelo povo. Quem sou eu, embora minha vivência e experiência acumuladas, para recomendar prudência até a manifestação das urnas em 28 de outubro”, pontuou.

Quem também está de olho na presidência do Senado é Cid Gomes (PDT), Ciro Nogueira (PP-PI), Simone Tebet (MDB-MS) e Tasso Jereissati (PSDB).