Renan inclui Heinze na lista de indiciados do relatório por fake news sobre 'kit covid'

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Luis Carlos Heinze fez leitura de sugestão de relatório na comissão e defendeu o uso de medicamentos ineficazes contra a covid-19 (Foto: Leopoldo Silva/Agência Senado)
Luis Carlos Heinze fez leitura de sugestão de relatório na comissão e defendeu o uso de medicamentos ineficazes contra a covid-19 (Foto: Leopoldo Silva/Agência Senado)
  • Renan Calheiros acolheu pedido para incluir Luis Carlos Heinze na lista de indiciados no relatório final da CPI da Covid

  • Pedido foi feito pelo senador Alessandro Vieira

  • Alegação é que Heinze disseminou informações falsas sobre a covid-19 ao defender uso de medicamentos comprovadamente ineficazes contra a doença

O senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) pediu o indiciamento de Luis Carlos Heinze (PP-RS) no relatório final da CPI da Covid. O pedido foi acolhido pelo relator da comissão, Renan Calheiros (MDB-AL).

O requerimento foi apresentado após Heinze fazer a leitura de sua sugestão de relatório da CPI. No texto, ele defendeu o uso de medicamentos comprovadamente ineficazes contra a covid-19 e disse que o relator Renan Calheiros contava com "ajudantes de ódio". 

“O senhor disse ‘o senador Renan Calheiros e seus ajudantes de ódio’, quem são?”, questionou Omar Aziz. Como resposta, Heize disse que se tratavam dos senadores que integram o chamado G7. O senador então acusou a CPI de ser cunho exclusivamente político.

Em seguida, o senador Alessandro Vieira pediu a palavra e apresentou um requerimento pelo indiciamento de Luis Carlos Heinze pelos mesmos tipos penais que foram atribuídos a outros parlamentares, “que reiteradamente disseminam notícias falsas que impactam na vida”.

“O senador Luis Carlos Heinze é respeitado no Rio Grande do Sul, o que ele fala repercute”, explicou. Os dados apresentados na fala do senador já foram desmentidos em estudos científicos, como a defesa do uso da hidroxicloroquina no tratamento da covid-19. “Infelizmente, o eleitor dele no interior do Rio Grande do Sul vai achar que é verdade, porque ele abriu a internet e está vendo o senador Heinze repetindo todos os dias, sem nenhuma reprimenda.”

“Essa CPI teve a coragem de pedir o indiciamento do presidente da República, do líder do governo, não pode fechar os olhos em relação ao comportamento do seu colega parlamentar, senador da República, que repete reiteradamente a mentira como forma de desinformar o seu cidadão.”

O senador governinsta Fernando Bezerra se posicionou contrário ao requerimento de Alessandro Vieira e classificou o pedido como "precipitado" e uma "decisão acalorada". Ele ainda defendeu o trabalho de Heinze durante a CPI e elogiou o parlamentar. 

Nesta terça, a comissão também vai votar o relatório final, elaborado pelo senador Renan Calheiros (MDB-AL). No total, 78 pessoas foram indiciadas - com Heinze, o número subiria para 79.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos