Renan planeja pedir ao STF acesso a inquéritos sobre fake news e atos antidemocráticos para CPI da Covid

Paulo Cappelli e Julia Lindner
·1 minuto de leitura

BRASÍLIA — O senador Renan Calheiros (MDB-AL) afirmou ao GLOBO que planeja pedir ao Supremo Tribunal Federal (STF) acesso a dois inquéritos que investigam aliados do governo Bolsonaro: o das fake news e o dos atos antidemocráticos. O parlamentar, contudo, ressaltou que, antes de qualquer iniciativa formal, o tema será debatido por todos os membros da CPI. As declarações foram dadas antes da decisão liminar da Justiça do Distrito Federal que impede, por ora, a sua nomeação para a relatoria dos trabalhos.

— É importante o acesso da comissão a tudo o que houver de conexo com o fato determinado, incluindo esses inquéritos. Defendo que tudo o que houver de fato conexo seja apurado — disse Renan. — Estamos trabalhando para sistematizar as propostas do plano de trabalho. O calendário da CPI será ajustado em função da estratégia de apuração.

Os dois inquéritos têm apoiadores do presidente Jair Bolsonaro como os principais alvos. O que trata das fake news foi aberto por iniciativa do próprio Supremo e tem como foco ataques contra ministros da Corte. Foi com base nele que o deputado Daniel Silveira (PSL-RJ) foi preso, inclusive. Outros cinco deputados aliados do presidente já foram alvo de medidas de busca e apreensão. No alvo estão também funcionários do governo que atuaram no chamado “gabinete do ódio”, responsável por mobilizar nas redes ataques a instituições. Também foi realizada quebra de sigilo bancário de empresários bolsonaristas na mesma investigação.