Renato Gaúcho dá recado ao Flamengo: 'O que o Vasco fez, o Grêmio também faz'

Treino Gremio

Grêmio e Flamengo vão se reencontrar pela última vez em 2019 neste domingo, na Arena, quase um mês após o Rubro-Negro eliminar o Tricolor na semifinal da Libertadores. Desde a competição continental, o técnico Renato Gaúcho tem destilado palavras ácidas contra o time carioca.

Na entrevista deste sábado, após o último treino do Grêmio para partida, o treinador gaúcho usou o empate do Flamengo com o Vasco em 4 a 4, na quarta-feira, em rodada adiantada, para mandar um recado aos comandados de Jorge Jesus.

– O Vasco jogou muito bem, foi um grande jogo. Mas o que o Vasco fez, minha equipe também faz. Infelizmente não fizemos no Maracanã, no jogo da Libertadores. No mais, minha equipe vem fazendo. É continuar a fazer o que estamos acostumados a fazer há muito tempo. Entrar focado, concentrado e competir. Essas são as palavras que eu sempre falo para eles. Não é porque o Vasco fez tão bem que minha equipe não faz. Faz sim. Pode ter certeza que o Grêmio é exemplo para muitas equipes do futebol brasileiro – disse o técnico.

O Flamengo deve entrar em campo com time misto ou totalmente reserva para poupar jogadores para final contra o River Plate, no dia 23 de novembro, em Lima, no Peru. Fora isso, a equipe terá três desfalques importantes por causa de cartões amarelos: Bruno Henrique, Willian Arão e Gerson. Renato Gaúcho disse que o Rubro-Negro não pode ficar se lamentando.

– O Grêmio jogou sem alguns jogadores na Libertadores. E o Flamengo, com o poder todo que tem, se não tiver dois ou três jogadores, não vai mudar nada. O Flamengo está preparado, da mesma forma que o Grêmio quando perde alguns jogadores. Nos últimos jogos, quase sempre o Grêmio teve esta situação. Eu sempre passo confiança para os jogadores que estiverem jogando. Um clube com o poder do Flamengo não pode ficar lamentando. O grupo deles é bom, quem entrar vai dar conta do recado. O Flamengo tem todo nosso respeito, mas como eles precisam da vitória, nós também precisamos – disse.