Renato Góes avalia personagem e lamenta distância do filho: "A gente se sacrifica"

Renato Góes no Rock in Rio (Foto: Manoella Mello/RT fotografia)
Renato Góes no Rock in Rio (Foto: Manoella Mello/RT fotografia)

Intérprete de Tertulinho em "Mar do Sertão", Renato Góes marcou presença no quarto dia de Rock in Rio e conversou com o Yahoo sobre o seu personagem, que é totalmente diferente de Zé Leôncio, o protagonista de "Pantanal". Emendar personagens opostos em um curto período de tempo e ainda se tornar pai no meio do caminho (o primeiro filho de Renato nasceu em dezembro de 2021, enquanto o ator se preparava para a primeira fase da novela das 21h) não é para qualquer um.

"É uma uma loucura boa, né? Maior alegria da minha vida, meu filho Francisco, veio no meio das gravações, antes da novela 'Pantanal' estrear. Graças a Deus eu estava no Rio e pude acompanhar, pude estar junto no primeiro mês inteiro, a Globo me liberou. Mas junto com tudo isso vieram esses dois trabalhos que tenho tanto orgulho de fazer parte, não só pela dramaturgia, pelo elenco, mas também pelos biomas, pelas histórias, enfim, tô muito feliz", diz o ator.

Desafio da paternidade

Apesar do reconhecimento profissional, Renato lamenta a distância do filho em um período tão importante. Focado no trabalho, o ator se vira nos 30 para acompanhar um pouco da rotina do herdeiro. "Eu tenho trabalhado muito, mas todo o meu tempo não trabalhando é com meu filho, né? Quando chego em casa quero ficar próximo dele e quando acordo brinco o máximo que der. A gente se sacrifica bastante em vários momentos, principalmente emendando trabalhos", afirma.

O que consola Renato é saber que depois de "Mar do Sertão" ele terá um tempo de descanso. "É claro que nada vai compensar esse tempo, né? Que eu tô tendo menos espaço pro meu filho, mas em algum momento eu vou ter um tempo maior junto. Podia trabalhar todos os dias um pouco menos, mas não teria o espaço que pretendo ter ano que vem, por exemplo. Então, assim, é isso, é a vida, é a vida que eu escolhi, a vida que eu amo", justifica.

Papel importante

Sobre Tertulinho, Renato chama atenção para as várias camadas do personagem. "O pessoal acha que ele parece muito frágil, mas ele tem um coração muito grande, ele não tem uma retidão, ele não é um cara sincero nem com o que ele traça, mas ao mesmo tempo ele segue o coração de uma forma muito louca e avassaladora, que vai criando essa bola de neve que a gente tá acompanhando", avalia.