Repórter da Al Jazeera é morta durante ação israelense na Cisjordânia

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Uma repórter da Al Jazeera foi morta por tiros do exército israelense na Cisjordânia ocupada nesta quarta-feira (11), de acordo com o canal de notícias do Catar. Militares israelenses disseram que ela pode ter sido baleada por palestinos durante conflitos com as tropas.

Uma autoridade palestina disse que Shireen Abu Akleh foi "assassinada" pelas forças israelenses enquanto informava sobre um ataque na cidade de Jenin, que viu uma escalada da violência nas últimas semanas com a intensificação de ações das tropas israelenses.

O Ministério da Saúde palestino confirmou a morte de Abu Akleh e disse que um segundo repórter, Ali Samodi, foi ferido.

Em um comunicado, Israel disse que suas tropas revidaram após ficarem sob "fogo maciço" em Jenin e que "há uma possibilidade, agora sendo investigada, de que os repórteres tenham sido atingidos - possivelmente por tiros disparados por atiradores palestinos".

O ministro de relações exteriores de Israel classificou a morte da repórter como triste e propôs uma investigação conjunta do ocorrido com a Autoridade Palestina.

Já o presidente palestino, Mahmoud Abbas, disse que considera as forças israelenses totalmente responsáveis pela morte.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos