Repórter da Record é agredido por bolsonaristas em rodovia

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O repórter da Record TV Rio Preto Yuri Macri foi agredido por manifestantes bolsonaristas que bloqueavam a rodovia Washington Luís, na altura de Mirassol, no interior paulista, nesta quarta-feira (2). Ele foi cercado por um grupo que o impediu de entrar ao vivo no telejornal e dar a notícia. " Vou precisar voltar com você aí, Rafa, porque o pessoal aqui acaba atrapalhando um pouco o nosso trabalho", ele disse.

Enquanto a apresentadora tomava a palavra, o jornalista era agredido com socos, chutes e pontapés, além de ter sido encharcado por um balde de água. O repórter, que conseguiu entrar ao vivo na sequência do telejornal, relatou o ocorrido em suas redes sociais. "Pensei 'se eu cair aqui, eu morro'. Foi uma situação muito difícil", ele escreveu.

Em nota, a Associação Brasileira de Rádio e Televisão, a Abratel, repudiou as agressões ao jornalista. " As agressões físicas, lesão corporal grave à repórteres e impedimento do exercício do trabalho jornalístico ferem diretamente o direito à informação, assegurado pela Constituição Federal", diz a nota.