Repórter recebe ameaças após publicar notícias sobre possível rede de fake news

A 9° Delegacia de Polícia do Distrito Federal vai investigar o vazamento de dados pessoais e ameaças contra o jornalista Lucas Neiva, do Congresso em Foco. O repórter virou alvo de grupos bolsonaristas depois de uma matéria que denunciava fóruns online, onde usuários teriam oferecido dinheiro em troca de fake news favoráveis ao presidente Jair Bolsonaro (PL).

Desinformação: Após decisão de Nunes Marques, juristas dizem que regras já vigentes garantem punição contra fake news

Fachin: 'atentar contra a Justiça Eleitoral' é 'atentar contra a própria democracia'

Supremo: Alexandre de Moraes manda incluir PCO no inquérito das fake news

Durante a madrugada deste domingo, o grupo derrubou o site do Congresso em Foco como represália. Diversos comentários na plataforma 1500chan, um canal de discussão na internet, indicavam uma articulação dos usuários para promover uma campanha de difamação contra o jornalista. Outros internautas faziam ameaças mais graves:

— Parece que alguém vai amanhecer morto — escreveu um deles.

Já outro usuário diz:

— Eu ri do jornalista esfaqueado em Brasília e queria que acontecesse mais.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos