Repatriação de cubanos dispara casos de covid-19 na ilha

·2 minuto de leitura
Mulher caminha de máscara pelas ruas de Havana em 14 de setembro de 2020
Mulher caminha de máscara pelas ruas de Havana em 14 de setembro de 2020

Cuba registrou 109 novos casos de covid-19 nesta quarta-feira (4), um número recorde em uma pandemia que já dura sete meses, impulsionada por 36 casos "importados", de cubanos que retornaram recentemente a seu país. 

O relatório diário do Ministério da Saúde Pública indica que 36 casos são de cubanos que tiveram uma "fonte de contaminação no exterior", sem especificar em quais países.

Esses casos "importados", nenhum de Havana, estão presentes em seis províncias do país, algumas das quais, no extremo oriente, mantêm a situação sob controle. 

De acordo com estatísticas oficiais, o maior número de casos em um dia até o momento foi 93, registrado em 9 de agosto.

Muitos cubanos ficaram presos em outros países por causa do fechamento das fronteiras na ilha, que teve início em 24 de março e terminou em 17 de outubro para todos os aeroportos do país, exceto Havana, fechado até 10 de novembro e que segundo as autoridades deve retomar as operações "nos próximos dias". 

Da mesma forma, em 19 de outubro, suspendeu-se a proibição da entrada de iates de uso pessoal e cruzeiros no país. 

Cuba tem seis aeroportos internacionais, que receberam 4,2 milhões de turistas estrangeiros em 2019, onde cerca de 50 companhias aéreas estrangeiras operam. 

Entre janeiro e março de 2020, mesmo com as fronteiras abertas, apenas 189.466 turistas chegaram ao país, 64% a menos do que as chegadas no mesmo período no ano passado. 

Para amortecer essa redução, em julho a ilha reabriu suas ilhotas para o turismo internacional com voos diretos para esses destinos, e com limitações de movimento para oa turistas, e em outubro deu acesso aos demais pólos turísticos, aplicando rígidos controles de segurança.  

Dos 148 estrangeiros que adoeceram em Cuba desde março, a maioria corresponde a pessoas que trabalham na ilha, como 44 indianos, 35 venezuelanos e 19 franceses. 

Até o final da terça-feira, Cuba, com 11,2 milhões de habitantes, registrava um total de 7.144 casos de covid-19, com 129 mortes e 6.394 curados, número que representa uma das menores incidências da região.

cb/ka/mps/bn/mvv