REPERCUSSÃO-Autoridades brasileiras manifestam pesar por morte de rainha Elizabeth

Rainha Elizabeth e o marido, Philip, recebem Lula e Marisa em Londres em 2007. Petista lamentou morte de monarca nesta quinta-feira

BRASÍLIA (Reuters) - Autoridades brasileiras reagiram com pesar nesta quinta-feira após o Palácio de Buckingham informar o falecimento da rainha Elizabeth 2ª, monarca mais longeva do Reino Unido e figura central do país por sete décadas.

A rainha, que morreu pacificamente aos 96 anos no Palácio de Balmoral, na Escócia, segundo comunicado do palácio, visitou mais de 100 países ao longo de seu reinado de pouco mais de 70 anos, o Brasil entre eles, passando pelas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Recife e Salvador, além de Campinas. A visita ocorreu em 1968.

O presidente e candidato à reeleição Jair Bolsonaro (PL) ainda não havia se manifestado até a publicação desta repercussão, mas decretou luto oficial de três dias em todo o país "em sinal de pesar pelo falecimento da Sua Majestade a Rainha Elizabeth 2ª, do Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte". O decreto foi publicado em edição extra do Diário Oficial da União desta quinta-feira.

Veja, a seguir, manifestações de políticos e autoridades brasileiras:

HAMILTON MOURÃO, vice-presidente da República

O vice-presidente Hamilton Mourão prestou homenagens à rainha por meio do Twitter. Em publicações, referiu-se a ela como "símbolo do Reino Unido".

"O momento é de homenagem a essa figura ímpar de estadista", afirmou Mourão.

"Quis o destino que pouco antes de nos deixar, ela, simpática e presente como sempre foi, enviasse ao nosso presidente os cumprimentos pelo Bicentenário da Independência do Brasil, lembrando com carinho sua visita ao nosso país em 1968", lembrou o vice-presidente.

"Descanse em paz, Elizabeth, exemplo de mulher,

mãe, esposa e servidora de sua nação!"

CIRO NOGUEIRA, ministro da Casa Civil

"A rainha Elizabeth vivenciou alguns dos períodos mais desafiadores da história", disse o ministro em postagem.

"Sua trajetória deixa um legado de dedicação ao seu país. Nos solidarizamos com todo o povo da Grã-Bretanha que sofre a perda de um símbolo mundial", acrescentou.

RODRIGO PACHECO (PSD-MG), presidente do Congresso Nacional

O presidente do Senado divulgou nota de pesar em que, em nome do Congresso Nacional, presta condolências à família e ao Reino Unido.

"Aos 96 anos, e mais de 70 anos de reinado, Elizabeth 2ª vivenciou alguns dos momentos mais importantes da história da humanidade. Cumpriu seu papel constitucional com louvor e foi um exemplo de estadista", afirmou Pacheco.

ARTHUR LIRA (PP-AL), presidente da Câmara dos Deputados

O deputado também utilizou a rede social para manifestar "profundo pesar".

"Ao transmitir nossas condolências ao povo britânico e à sua família real, relembro as históricas ligações entre o Brasil e o Reino Unido, que datam desde os primeiros anos de nossa vida como nação independente e que se fortaleceram enquanto a rainha Elizabeth reinou", afirmou Lira, lembrando que o "longevo reinado testemunhou as grandes transformações pelas quais o mundo passou no quase um século que viveu".

LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA (PT), ex-presidente e candidato ao Planalto

O ex-presidente afirmou em publicação no Twitter que a rainha Elizabeth 2ª testemunhou importantes eventos históricos e "marcou era como Chefe de Estado" ao reinar em convivência com primeiros-ministros de diferentes linhas ideológicas.

"Em nosso governo, o Reino Unido e o Brasil tiveram excelentes relações diplomáticas, políticas e comerciais, marcadas pela visita de Estado em que ela nos recebeu, em 2006. Gravo na memória nosso encontro na reunião do G20 em Londres, em 2009", publicou Lula.

"Minhas condolências à família e a todos que admiravam a rainha Elizabeth 2ª no Reino Unido e ao redor do mundo."

SIMONE TEBET (MDB-MS), senadora e candidata à Presidência da República

"A rainha Elizabeth 2ª é exemplo de liderança feminina que, ao longo de décadas, serviu como ponto de equilíbrio de uma nação poderosa como o Reino Unido. Modelo de estabilidade, de convivência respeitosa entre instituições de Estado", afirmou a senadora em publicação no Twitter.

"Sua vida, seus atos, sua trajetória servem como modelo num mundo em que valores como estes têm sido cada vez mais aviltados, como vem acontecendo, infelizmente, em nosso país. Em suas próprias palavras: 'Foram as mulheres que inspiraram gentileza e cuidado no duro progresso da humanidade.' Descanse em paz."

CIRO GOMES (PDT), candidato à Presidência da República

O presidenciável também se manifestou pelo Twitter: "Com a morte da rainha Elizabeth 2ª se fecha um ciclo da monarquia britânica e se abrem as portas da história para uma mulher que foi um símbolo de superação, sacrifício pessoal e devotamento à causa de uma nação".

"Que ela descanse, merecidamente, em paz", acrescentou Ciro.

(Reportagem de Maria Carolina Marcello)