'Desastre de governo', 'corrupção escancarada': veja repercussão da prisão de Ribeiro

Ex-ministro da Educação Milton Ribeiro e o presidente Jair Bolsonaro (Foto: Buda Mendes/Getty Images)
Ex-ministro da Educação Milton Ribeiro e o presidente Jair Bolsonaro (Foto: Buda Mendes/Getty Images)

O ex-ministro da Educação Milton Ribeiro foi preso na manhã desta quarta-feira (22) pela Polícia Federal, na operação Acesso Pago. Ele e pastores são suspeitos de operar um balcão de negócios no Ministério da Educação (MEC) e na liberação de verbas do FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação).

Como mostrou o jornal Folha de S. Paulo, os pastores negociavam com prefeitos a liberação de recursos federais mesmo sem ter cargo no governo. Prefeitos relataram pedidos de propina, até em ouro.

Em áudio revelado pelo jornal, o ex-ministro da Educação disse que priorizava pedidos dos amigos de um dos pastores a pedido do presidente Jair Bolsonaro (PL). O ex-ministro deixou o cargo em março, após a revelação. A atuação dos pastores junto ao MEC foi revelada anteriormente pelo jornal O Estado de S. Paulo.

A seguir, veja a repercussão da prisão de Milton Ribeiro:

A deputada Tabata Amaral (PSB-SP) pediu que todos sejam investigados. "A área que deveria ser a mais importante ao Brasil virou símbolo do desastre desse governo. Os piores ministros da Educação da história não só destruíram, como também transformaram o MEC em balcão de negócios. Que Milton Ribeiro e todos os outros sejam investigados e punidos!".

A pré-candidata à deputada federal pelo PSOL em São Paulo, Sonia Guajajara, afirmou que a corrupção do governo federal "é cada vez mais escancarada".

“Não tem corrupção no meu governo. Boto minha cara no fogo pelo Milton Ribeiro..” (Bolsonaro, em 24 de março de 2022). Hoje, a PF prendeu Milton Santos e pastores ligados a Bolsonaro em operação sobre corrupção no MEC. A corrupção desse desgoverno é cada vez mais escancarada!", declarou.

O deputado federal Alexandre Padilha (PT-SP) também se manifestou pelo Twitter: "O ex-ministro da educação de Bolsonaro, Milton Ribeiro, foi preso por um escândalo de corrupção para liberação de recursos públicos do Ministério. Nós avisamos desde sempre não avisamos? Nunca foi pra combater a corrupção!"

A presidente nacional do PT (Partido dos Trabalhadores), Gleisi Hoffmann, afirmou ser um "péssimo dia" para o governo Bolsonaro. "Péssimo dia pro governo corrupto de Jair Bolsonaro. PF prende ex-ministro Milton Ribeiro e pastor cabeça da organização criminosa, que cobrava propina em barra de ouro pra liberar verba da educação. Até outro dia Bolsonaro dizia que colocava a cara no fogo por ele."

Já o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, disse que os "discursos vazios começam a ruir". O castelo de mentiras e discursos vazios começa a ruir. O notório Milton Ribeiro, ministro da Educação mais mal educado da história do Brasil fecha seu ciclo na cadeia, por corrupção. Esse é o destino natural dos comparsas de Bolsonaro, incluindo ele, claro.

Mais cedo, em entrevista à rádio Itatiaia, Bolsonaro disse que Ribeiro deve responder pelos atos dele. “Se tem prisão, é Polícia Federal, é sinal de que a Polícia Federal está agindo. Ele responda pelos atos dele. Peço a Deus que não tenha problema nenhum. Mas, se tem algum problema, a PF está agindo, está investigando, é um sinal que eu não interfiro na PF, porque isso aí vai respingar em mim, obviamente", afirmou.

Em março, Bolsonaro chegou a dizer que “colocaria a cara no fogo” pelo aliado. A declaração foi dada durante uma das transmissões ao vivo do presidente, mesmo mês no qual Ribeiro deixou o Ministério da Educação após suspeitas de lobby de pastores evangélicos na pasta.

Milton Ribeiro foi o quarto ministro da Educação apenas no governo Bolsonaro, sendo substituído após a saída por Victor Godoy Veiga, que assumiu em 29 de março e segue no cargo.

Em seus quase dois anos à frente da pasta, o pastor da Igreja Presbiteriana, teólogo e advogado colecionou crises e polêmicas, como quando disse que alunos com deficiência “atrapalham” o aprendizado de outras crianças em sala de aula.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos