Reportagem da CNN não revelou plano do PT para confiscar dinheiro da população se Lula for eleito

Não é verdade que uma reportagem da CNN revelou que o Partido dos Trabalhadores (PT) pretende “tomar o dinheiro” que a população mantém em contas bancárias, previdências privadas e outros investimentos caso o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva seja eleito nas eleições de 2022. A peça de desinformação, compartilhada mais de cinco mil vezes desde pelo menos 14 de junho de 2022, diz ainda que esse tipo de confisco de bens estaria previsto no estatuto do partido. Mas o conteúdo tira de contexto uma reportagem da CNN, e o estatuto do PT tampouco prevê esse tipo de ação.

“Quem tem dinheiro no banco, na poupança, na previdência privada, nos investimentos, nos imóveis, nas empresas, nos negócios e nas aplicações em geral é melhor ficar de olho! Isso tudo está no estatuto do PT. Lula vai tomar o seu dinheiro. Parabéns CNN, por divulgar”, diz a alegação junto a um trecho de uma reportagem da CNN. O conteúdo circula no Twitter (1, 2), Facebook (1, 2), Instagram (1, 2), Kwai e TikTok.

O vídeo com a alegação também foi compartilhado pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro (PL-SP) no Twitter e pelo deputado estadual Ricardo Arruda (PL) no Instagram.

Captura de tela feita em 1 de setembro de 2022 de uma publicação no Twitter ( . / )

No trecho de aproximadamente 2 minutos da reportagem, compartilhado nas redes sociais, a jornalista Monalisa Perrone afirma que “gente muito próxima” do ex-presidente Lula está defendendo um regime de “quarentena fiscal” caso o candidato seja eleito.

Em seguida, o jornalista Caio Junqueira explica que uma ala do partido elaborou um documento interno que prevê a decretação de uma situação de emergência em âmbito nacional que permitiria, na prática, que o governo “tenha liberdade para romper as regras fiscais”. Esse documento também iria prever a correção do orçamento herdado do ano anterior, retomar a capacidade de investimento de estatais, cobrar um imposto emergencial sobre grandes fortunas e lucros e dividendos, e retomar programas sociais como Bolsa Família e Mais Médicos.

Uma busca pelas palavras-chave “quarentena fiscal”, “PT” e “Lula” levou à reportagem na íntegra, com 4 minutos e 30 segundos de duração, publicada em 1º de fevereiro de 2022 pela CNN Brasil.

Assim como no trecho viralizado nas redes sociais, não há qualquer menção na reportagem completa sobre confisco de bens dos cidadãos.

Disponível no site da legenda, o estatuto do PT não apresenta propostas a serem seguidas por um eventual novo governo de Luiz Inácio Lula da Silva, mas sim orientações acerca de sua organização como um partido político.

Nos capítulos do documento, é possível encontrar normas sobre as eleições para as direções da legenda; a organização do partido nos municípios e como se dá a escolha dos candidatos para as eleições proporcionais e majoritárias. Nada é dito sobre o confisco de bens da população.

Também não é possível encontrar nenhuma menção a confisco de bens na proposta de governo da coligação Brasil da Esperança, encabeçada por Lula, que está disponível para consulta no site do TSE.

Na parte do documento chamada de “Desenvolvimento Econômico e sustentabilidade socioambiental e climática” há a “defesa da construção de um novo regime fiscal”; “articulação entre investimentos públicos e privados” e “estrutura tributária mais simples e progressiva”.

Uma checagem semelhante foi feita pelo projeto Comprova, do qual o AFP Checamos faz parte. A CNN Brasil está entre os veículos que verificaram o texto, que foi publicado no site da emissora, reiterando que as publicações viralizadas “distorcem reportagem” do canal.