Reportagem faz polícia reabrir caso de mulher desaparecida e marido é preso

Reproduçaão/Facebook/Looking for Lynette Dawson

Um homem foi preso após o sucesso de um podcast levar a polícia a reabrir investigação sobre o desaparecimento da esposa dele, em 1982.

Chris Dawson foi preso nesta semana após a reportagem reacender o interesse pelo caso. Lynette Dawson tinha 33 anos quando desapareceu, há 36 anos, e era mãe de duas crianças pequenas. O casal morava em Sydney, Austrália quando ela sumiu sem deixar rastros.

Chris sempre negou qualquer envolvimento no crime e, na época, os promotores disseram que não havia provas suficientes para que ele fosse denunciado – o corpo da mulher nunca foi encontrado.

Durante todos esses anos, Chris afirmou que a mulher possivelmente deixara a família para seguir algum grupo religioso. Trinta e seis anos depois, no entanto, o podcast The Teacher’s Pet (Expressão que significa “aluno favorito do professor”, do site de notícias The Australian, gerou interesse mundial pelo caso – foram mais de 20 milhões de downloads.

Chris, hoje com 70 anos, foi preso em Queensland. As autoridades disseram que ele será denunciado por assassinato.

Caso extraconjugal

O podcast traz detalhes do caso extraconjugal que Chris teve com uma aluna de 16 anos na época do desaparecimento da mulher, além de testemunhas que não foram ouvidas pela polícia.

O jornalista Hedley Thomas passou seis meses investigando o caso. Como as suspeitas voltaram a pairar sobre Chris, a polícia reabriu o caso.

“Nós não vamos desistir das buscas por Lynette Dawson, mas, na nossa opinião, isso (encontrar o corpo) não é crucial para resolver a questão (da autoria do assassinato)”, disse o detetive Scott Cook.

O sumiço

Lyn desapareceu no dia 9 de janeiro de 1982. A versão de Chris é a de que sua mulher foi ao shopping pela manhã e tinha combinado de encontrar com ele, as filhas e a mãe dela em um centro aquático onde ele trabalhava aos fins de semana.

Ele afirma que, no mesmo dia, recebeu um telefonema da esposa dizendo que precisava de um tempo longe de todos. Dois dias depois do desaparecimento, Joanne Curtis, a adolescente que tinha um caso com Chris, se mudou para a casa que ele antes dividia com a esposa e as filhas.

Chris só reportou o desaparecimento da esposa à polícia cinco semanas depois – e as autoridades só passaram a encarar o caso como um possível assassinato oito anos depois, quando obteve informações de Joanne, que naquela época já estava separada de Chris. (Com BBC)