Reprovação do governo Bolsonaro cai em todas as faixas de renda, aponta pesquisa

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Jair Bolsonaro
    38.º presidente do Brasil
BRASILIA, BRAZIL - DECEMBER 07:  President of Brazil Jair Bolsonaro attends a ceremony  to sign terms and conditions for the use of 5g frequencies on December 7, 2021 in Brasilia, Brazil. (Photo by Mateus Bonomi/Getty Images)
Avaliação do governo de Jair Bolsonaro melhorou de novembro para dezembro (Foto: Mateus Bonomi/Getty Images)
  • Reprovação do governo Bolsonaro caiu de novembro para dezembro

  • Desempenho do governo federal melhorou entre todas as faixas etárias

  • Única região do Brasil onde reprovação do governo não caiu foi no Nordeste

A reprovação do governo do presidente Jair Bolsonaro (PL) caiu seis pontos percentuais, com redução em todas as faixas de renda. É o que aponta a pesquisa Genial/Quaest, divulgada hoje. Em novembro, a avaliação negativa do governo era de 56% e, agora, o índice está em 50%.

Há um mês, a indicação de que o governo era regular era de 22% e, em dezembro, subiu para 26%. A avaliação positiva subiu e 19% para 21%.

Foram ouvidas 2.037 pessoas com 16 anos ou mais entre os dias 2 e 5 de dezembro. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais.

Avaliação do governo do presidente Bolsonaro

  • Negativo: 50%

  • Regular: 26%

  • Positivo: 21%

  • Não sabem/não responderam: 2%

Redução em todas as faixas de renda

A reprovação do governo Bolsonaro caiu entre todas as faixas de renda analisadas. Entre os brasileiros que recebem até 2 salários mínimos, a queda foi de sete pontos percentuais: em dezembro, a avaliação negativa de era 60% e, em dezembro, passou para 53%. Ainda assim, é neste grupo econômico que Bolsonaro tem maior índice de reprovação e menor aprovação, de 17%.

Entre os brasileiros que recebem de 2 a 5 salários mínimos, a reprovação ficou em 49% em dezembro, contra 55% em novembro. Já entre os que ganham mais de 5 salários mínimos, 44% avaliam o governo Bolsonaro de forma negativa, redução de 7 pontos percentuais em relação ao mês passado.

Até 2 salários mínimos

  • Negativo: 53%

  • Regular: 27%

  • Positivo: 17%

  • Não sabem/não responderam: 3%

Entre 2 e 5 salários mínimos

  • Negativo: 49%

  • Regular: 25%

  • Positivo: 23%

  • Não sabem/não responderam: 2%

Mais de 5 salários mínimos

  • Negativo: 44%

  • Regular: 29%

  • Positivo: 25%

  • Não sabem/não responderam: 1%

Divisão por regiões

Em todas as regiões do país, a reprovação do governo caiu, com exceção do Nordeste. A queda mais expressiva foi no Centro-Oeste, com queda de 10 pontos percentuais na percepção negativa em relação ao governo Bolsonaro, chegando ao índice de 44%.

Centro-Oeste e Sul tem os maiores índices de aprovação do poder Executivo, com 26% percentuais cada um. Na contramão, o Nordeste tem a menor aprovação, com 14%, e avaliação negativa de 61%.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos