Republicanos abandonam investigação sobre ataque ao Capitólio após Pelosi rejeitar Jordan e Banks

·2 minuto de leitura
Apoiadores de Trump atacaram o Capitólio em Washington em janeiro

WASHINGTON (Reuters) - O republicano mais graduado da Câmara dos Deputados dos Estados Unidos retirou nesta quarta-feira seus cinco indicados para servir no comitê especial que investiga o ataque de 6 de janeiro ao Capitólio, após a presidente da Câmara, que é uma democrata, Nancy Pelosi, rejeitar dois deles.

Pelosi rejeitou os deputados Jim Jordan e Jim Banks, defensores assíduos do ex-presidente Donald Trump, de servir no painel que investiga os apoiadores de Trump que atacaram o Congresso na tentativa de impedir a ratificação da vitória eleitoral do presidente norte-americano, Joe Biden.

"Com respeito à integridade da investigação, com uma insistência na verdade e com preocupação sobre as declarações feitas e ações tomadas por esses membros, tenho que rejeitar as indicações dos deputados Banks e Jordan para o comitê", disse Pelosi em comunicado. "A natureza sem precedentes de 6 de janeiro exige essa decisão sem precedentes."

Pelosi criou o painel com 13 membros após os republicanos da Câmara rejeitarem uma tentativa anterior de criar um painel bipartidário para investigar a violência, onde centenas de apoiadores de Trump invadiram o prédio, agrediram a polícia, quebraram janelas e fizeram com que parlamentares e o então vice-presidente, Mike Pence, se retirassem às pressas em busca de segurança.

"Os republicanos não farão parte de seu falso processo e, em vez disso, seguiremos nossa própria investigação dos fatos", disse o líder da Minoria na Câmara, Kevin McCarthy, em um comunicado que retira seus indicados.

Pelosi já tinha indicado uma republicana, Liz Cheney, para o painel. Ela havia dito que aceitaria os outros três indicados de McCarthy --os deputados Rodney Davis, Kelly Armstrong e Troy Nehls-- e pediu a ele que escolhesse dois novos membros.

Quatro pessoas morreram no dia do ataque ao Capitólio, uma morta a tiros pela polícia e as outras três de causas naturais. Um policial do Capitólio que foi atacado por manifestantes morreu no dia seguinte. Dois policiais que responderam ao ataque ao Capitólio mais tarde tiraram suas próprias vidas. Mais de cem policiais ficaram feridos.

(Por Jan Wolfe e David Morgan)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos