Republicanos têm vantagem nos temas crime e imigração para eleições nos EUA, mostra pesquisa Reuters/Ipsos

Congresso dos EUA

Por Ted Hesson e David Morgan e Jason Lange

WASHINGTON (Reuters) - Os eleitores norte-americanos preferem os republicanos aos democratas para resolver problemas de imigração e crime, sugerindo que a ênfase republicana na segurança das fronteiras e no combate ao crime pode ajudar nas eleições de meio de mandato em 8 de novembro, mostrou uma pesquisa Reuters/Ipsos.

A pesquisa, realizada de 27 de setembro a 3 de outubro, ressalta as vantagens que os republicanos têm antes das eleições, quando são os favoritos para retomar o controle da Câmara dos Deputados dos Estados Unidos e também podem conquistar o Senado.

Entre eleitores registrados 40% disseram que os republicanos são o partido mais adequado para tratar da imigração, em comparação com 32% que escolheram os democratas.

Para solucionar a questão do crime, 39% escolhem os republicanos e 30% os democratas. Os demais disseram que não sabiam, ou escolheram outro partido e independentes.

Embora a inflação alta continue a ser a principal preocupação dos eleitores norte-americanos, o crime e a imigração são vistos como temas importantes para motivar os eleitores republicanos a votar e para obter votos de eleitores independentes e democratas moderados.

No geral, 30% dos eleitores registrados na pesquisa disseram que sua principal preocupação é a inflação, com 5% selecionando a imigração e 4% indicando o crime.

A vantagem republicana sobre crime e imigração é mais acentuada em alguns dos principais grupos de votação do partido, como brancos não-hispânicos sem diploma universitário.

O líder republicano da Câmara, Kevin McCarthy, revelou no mês passado uma plataforma republicana focada em reduzir os altos custos de energia e a inflação, combater o crime e impedir a imigração ilegal.

Os temas são uma característica regular dos anúncios de campanha republicana.

Estrategistas políticos de ambos os partidos dizem que o esforço republicano para controlar as ansiedades de alguns eleitores sobre o crime e a imigração é em parte para conter a força dos democratas no tema do aborto, após uma decisão de junho da Suprema Corte dos EUA, dominada pelos conservadores, que anulou o direito constitucional ao procedimento. Cerca de 6% dos eleitores registrados na pesquisa citaram a mudança nas leis de aborto como sua principal preocupação.

A pesquisa online Reuters/Ipsos reuniu respostas de 4.415 adultos norte-americanos em todo o país e teve um intervalo de credibilidade, uma medida de precisão, entre 2 e 5 pontos percentuais.

(Reportagem de Jason Lange, Ted Hesson e David Morgan em Washington)