'Respeito e cuidado' vão guiar nova gestão da Cultura, diz Margareth Menezes

Em uma cerimônia emocionante, artística e, sobretudo, cultural, Margareth Menezes assumiu, oficialmente, o cargo de ministra da Cultura nesta segunda-feira. Margareth destacou que os trabalhos serão intensos para reverter a carência causada pela ausência da pasta nos últimos quatro anos, período em que funcionou como Secretaria Especial.

A nova ministra assume com o compromisso de retomar instituições culturais que, conforme suas palavras, sofreram com "o desmonte perverso das políticas culturais", como o Iphan, o Ancine, a Funarte e o Ibram. "Temos a missão de refundar o Ministério da Cultura", destacou.

A reconstrução do ministério, no entanto, não começa do zero. Menezes destacou que os trabalhos feitos por antigos ministros da Cultura, como Gilberto Gil e Juca Tavares, foram cruciais para "dar régua e compasso" à nova gestão.

— Ouvi e acompanhei os diagnósticos do grupo de transição e chego agora com as duas últimas palavras que farão o tom na nossa gestão aos trabalhadores e servidores da cultura: respeito e cuidado – afirmou. – Tentaram nos matar mais uma vez, mas, como sabemos, o que não nos mata nos deixa mais fortes.

Novo secretariado

Junto ao Márcio Tavares, secretário-executivo da pasta, trabalharão com Margareth na nova gestão: Roberta Martins, na Secretaria dos Comitês de Cultura; Fabiana Piuba, na Secretaria de formação, livro e leitura; Zulu Araújo, que assume a Secretaria de Diversidade e Cultura; Milton Menezes, na Secretaria de economia e fomento à cultura; Joelma Gonzaga, que fica na Secretaria do Audiovisual; Marcos Souza, João Jorge Rodrigues, à frente da Fundação Palmares, Marcos Lucchesi, na Fundação Biblioteca Nacional e Maria Marighella, na Funarte.

Janja discursa

Presente na cerimônia, a primeira-dama e socióloga Rosângela da Silva disse que todos os patrimônios culturais do Palácio do Planalto e do Palácio do Alvorada serão repostos.

– Há um trabalho de recomposição do acervo e patrimônio cultural do Palácio do Planalto e do Palácio do Alvorada. O patrimônio cultural desses não é de quem ocupa esses espaços por quatro anos, é do povo brasileiro – afirmou Janja.

Janja reforçou que a cultura tem a mesma importância da educação ou da saúde no país. À nova ministra, Janja desejou que a nova gestão seja de muita "alegria" e "reconstrução".

-- A cultura é peça fundamental na reconstrução do Brasil e da sua economia principalmente. Cultura não gera só lazer, gera renda e economia e você vai ser a nossa guia. Parabéns e bom trabalho — disse a primeira-dama à ministra.

Apresentações artísticas

O evento contou com apresentações artísticas, com apresentação de samba pisado e recitação de poesia no início e música, cantada pela própria minista da Cultura, ao final.

Quatro ministros estão presentes no evento: a ministra da Saúde, Nísia Trindade; o ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha; a primeira-dama, Janja; a ministra dos Esportes, Ana Moseur; Luciana Santos, de Ciência e Tecnologia; e a ministra da Igualdade Racial, Anielle Franco.