Restaurante em que teria ocorrido oferta de propina diz à CPI que apagou vídeo

·1 minuto de leitura

BRASÍLIA — O restaurante Vasto, onde teria ocorrido a oferta de propina relatada por um vendedor da vacinas, disse à CPI da Covid que apagou o vídeo do dia do encontro. Segundo o vendedor relatou à Folha, o jantar com as autoridades do Ministério da Saúde teria acontecido em 25 de fevereiro.

A Polícia Legislativa do Senado Federal esteve no restaurante nesta quarta-feira, onde foi informado que os vídeos são apagados periodicamente. A CPI deve pedir uma busca e apreensão para verificar se realmente não há uma gravação. O restaurante fica na praça de alimentação do Brasília Shopping.

Em entrevista à Folha, Luiz Paulo Dominguetti, que se apresenta como representante de uma empresa norte-americana, a Davati Medical Supply, diz ter recebido um pedido de propina de US$1 por dose de Roberto Ferreira Dias, então diretor de logística do Ministério da Saúde.

A empresa ofereceu 400 milhões de doses de AstraZeneca ao governo brasileiro na ocasião, o quádruplo do que o Brasil comprou da Pfizer. A farmacêutica nega que autorize intermediários a negociar vacinas. Procurada, a Davati não explicou quem seria o fornecedor dessas doses de vacina. Dominguetti será ouvido na CPI da Covid nesta quinta-feira.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos