Restaurantes na Cidade do México desafiam proibição a atividades devido à covid-19

·2 minuto de leitura
Duas pessoas comem ao ar livre em um restaurante italiano na Cidade do México, 11 de janeiro de 2021

Mais de 500 restaurantes reabriram as portas nesta segunda-feira (11), desafiando a proibição a atividades estabelecida pelo governo da Cidade do México devido ao aumento no número de hospitalizações por covid-19.

"Estamos abrindo não como um ato de rebelião, mas para que eles vejam que chegamos ao limite e dizer (ao governo): 'por favor, cheguem a um acordo'", explicou à AFP Giulliano Lopresti, proprietário do restaurante Quebracho, no bairro central de Cuauhtémoc.

O restaurante de Lopresti reabriu com apenas 25% da capacidade. Alguns clientes saboreavam a comida quase alheios à polêmica.

“Estamos tão desesperados que estamos abrindo, porque a outra opção que eles nos deram é a morte”, acrescentou Lopresti.

Na entrada, como já havia sido feito anteriormente, o restaurante mede a temperatura dos visitantes e oferece álcool em gel, enquanto os garçons são obrigados a usar máscaras.

Na mesma rua, outros restaurantes tomaram a mesma decisão.

Para muitos comerciantes, o serviço de entrega a domicílio não é suficiente para cobrir os custos e torcem para que os negócios se recuperem.

“Estamos trabalhando a 10% do que era antes”, afirmou Velino de la Cruz, gerente do restaurante italiano Attenti. “Meus colegas estão felizes, esperando que isso possa voltar a funcionar”.

No dia 18 de dezembro, as autoridades da capital mexicana decretaram o estado de alerta máximo de saúde para covid-19 e decidiram suspender as atividades não essenciais.

Dez dias antes prorrogaram as medidas devido ao aumento no número de internações pela doença.

“Entendemos a pressão, mas pedimos também que se entenda a pressão sobre todas as famílias que têm membros nos hospitais da região metropolitana do Vale do México, um pouco mais de 6.000 pessoas”, disse o secretário Alfonso Suárez del Real à Radio Fórmula do governo da capital.

O funcionário disse que as autoridades farão as devidas revisões e aplicarão as sanções cabíveis.

O México registra 1.534.039 casos confirmados do vírus e 133.706 mortes até domingo, segundo dados oficiais.

yug/nc/mps/am