Restrições à Covid-19 estão ligadas ao início precoce da temporada de gripe na Europa

Idoso recebe dose de reforço de vacina contra Covid em Sevilha, Espanha

Por Natalie Grover

LONDRES (Reuters) - As restrições pandêmicas que dificultaram a circulação de outros vírus além da Covid-19 podem estar por trás do aumento precoce de infecções respiratórias na Europa neste inverno, dizem cientistas.

Além da Covid-19, as regras para restringir o movimento e a interação social limitaram a transmissão de vírus que normalmente causam a maioria das infecções durante os meses mais frios de inverno, incluindo influenza e VSR (vírus sincicial respiratório).

Isso criou um grupo maior de pessoas suscetíveis, incluindo crianças nascidas nessa época, que tiveram menos exposição a esses vírus.

Neste inverno, as autoridades de saúde alertaram sobre o que foi chamado de tridemia de influenza, VSR e casos contínuos de Covid-19, aumentando a pressão sobre os serviços de saúde sobrecarregados.

Os dados de vigilância do VSR de 15 países europeus, abrangendo os anos pré-Covid de 2010 a 2016, mostram que o início médio da temporada do VSR é no começo de dezembro e atinge o pico no final de janeiro, destacou o Centro Europeu de Prevenção de Doenças e Controle (ECDC) em relatório publicado este mês.

Até agora, as tendências europeias sugerem que este ano os casos de VSR atingiram o pico no final de novembro e estão em declínio, mas ainda haverá um número substancial de casos nas próximas quatro a seis semanas, disse Agoritsa Baka, especialista do ECDC em preparação e resposta a emergências.

Enquanto isso, os casos de Covid-19 aumentaram nas últimas semanas. Na semana encerrada em 18 de dezembro, os casos europeus cresceram 7% em relação à semana anterior, de acordo com dados do ECDC.

O aumento da gripe começou na segunda semana de novembro na região europeia, um início mais cedo do que nas quatro temporadas anteriores, disse a agência.

(Reportagem de Natalie Grover em Londres)