Restrições da fase emergencial não esvaziam ônibus da cidade de SP

VICTÓRIA DAMASCENO
·2 minuto de leitura
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, 15/06/2020: Passageiros esperam ônibus na região do Grajaú, na zona sul de São Paulo. Foto: Rivaldo Gomes/Folhapress
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, 15/06/2020: Passageiros esperam ônibus na região do Grajaú, na zona sul de São Paulo. Foto: Rivaldo Gomes/Folhapress

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - As medidas restritivas impostas pela fase emergencial decretada pelo governo do estado de São Paulo não diminuíram o número de pessoas circulando nos ônibus da capital paulista, onde o trânsito aumentou.

Segundo dados da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), nesta quinta-feira (25) o número de pessoas transportadas nos ônibus da capital foi o mesmo de quinta passada (18), quando o número de passageiros foi de 1,49 milhão. Na semana anterior (11) foram 1,7 milhão.

A lentidão nas ruas da cidade também aumentou. A média de trânsito registrada nesta quinta foi de 32 quilômetros. Na quinta passada foram 25 quilômetros, enquanto na semana anterior, 27.

Com isso, o volume de veículos também aumentou. Foram 5,7 milhões de carros circulando nesta quinta-feira, contra 5,2 milhões na semana passada. Na quinta anterior foram 5,4 milhões.

Na manhã desta sexta (26), o governo João Doria (PSDB) prorrogou a fase emergencial de 30 de março para até 11 de abril, seguindo recomendação do centro de contingência contra o coronavírus do governo paulista.

"Em virtude dos números da pandemia, da insistência da pandemia, apesar de todas as medidas adotadas, o governo de São Paulo prorroga até 11 de abril a fase emergencial", disse o vice-governador Rodrigo Garcia (DEM), ao anunciar a decisão.

A fase emergencial impõe regras mais duras como toque de recolher entre 20h e 5h, restrição ao funcionamento de serviços não essenciais, proibição de cerimônias religiosas e atividades esportivas coletivas e obrigatoriedade de home office para atividades administrativas não essenciais como órgãos públicos e escritórios.

Na quinta, 92,4% das UTIs (unidades de terapia intensiva) dedicadas a pacientes com Covid-19 no estado estavam ocupadas. Na região metropolitana da capital o índice atingiu 92,3%. Já nos leitos de enfermaria, a taxa de ocupação é de 83,5% no estado e 87,9% na Grande São Paulo.

O isolamento médio foi de 43% nesta quinta, um ponto percentual a menos em relação ao índice de quinta passada, quando o sistema do governo registrou 44%. Na semana anterior a taxa foi de 42%.

Nesta sexta, SP registrou 1.193 mortes em um único dia, batendo um novo recorde. O estado totaliza 70.696 óbitos e 12,3 milhões de casos.