Reunião de Emergência do Conselho de Segurança da Polónia

O primeiro-ministro da Polónia convocou uma reunião de emergência da Comissão de Segurança Nacional na sequência de relatos sobre mísseis que caíram sobre a cidade de Przewodów, na fronteira com a Ucrânia.

De acordo com a imprensa local, os dispositivos atingiram um celeiro e mataram pelo menos duas pessoas. Até agora, o único facto confirmado é a reunião do conselho de segurança polaco.

Em conferência de imprensa, o porta-voz do Pentágono disse que neste momento não há informação que corrobore os relatos e garantiu que os Estados Unidos estão a investigar a situação.

De acordo com o Artigo 5 da NATO, qualquer ataque contra um país da Aliança será considerado um ataque contra todos. Mas antes de referir este artigo, a Polónia tem de determinar o que realmente aconteceu: se em causa está um míssil russo, um míssil antiaéreo ucraniano ou restos de um míssil.

Moscovo já disse que os destroços do local do acidente que aparecem nos meios de comunicação social não têm qualquer relação com as armas russas.

Volodymyr Zelenskyy não tem dúvidas e pede a interferência da NATO.

_"O que aconteceu hoje é o que temos vindo a alertar há muito tempo. O terror não está limitado pelas nossas fronteiras nacionais, já se espalhou pela Moldávia. E hoje, os mísseis russos atingiram a Polónia. Quanto mais tempo a Rússia sentir impunidade, mais ameaças haverá a todos os que estão ao alcance dos mísseis russos. _Disparar mísseis em território da NATO. Este é um ataque de mísseis russos à segurança coletiva! Trata-se de uma escalada muito significativa. Temos de agir", declarou o presidente ucraniano.

A Polónia já aumentou o nível de alerta militar e considera a possibilidade de ativar o artigo 4 da NATO, que implica uma reunião dos membros da aliança em caso de ameaça da "integridade territorial, independência política ou segurança".