Reunião euro-árabe no Cairo discute processo de paz israelense-palestino

·2 minuto de leitura
Ministros das Relações Exteriores da Alemanha (Heiko Maas), Jordânia (Ayman Safadi), Egito (Sameh Shoukry) e França (Jean-Yves Le Drian) fazem uma coletiva de imprensa conjunta após reunião para discutir o processo de paz no Oriente Médio, no Cairo, capital do Egito, em 11 de janeiro de 2021

Os ministros das Relações Exteriores de Egito, Jordânia, França e Alemanha se reuniram nesta segunda-feira (11) no Cairo para uma nova conferência do grupo euro-árabe para reativar o processo de paz entre Israel e os palestinos.

As negociações estão paralisadas desde 2014. Os palestinos aspiram a um Estado independente tendo Jerusalém como capital, atualmente anexada por Israel, que a ocupou em 1967, assim como a Cisjordânia.

Desde então, a colonização dos territórios palestinos por Israel continuou sob todos os seus governos, mas se acelerou com Benjamin Netanyahu e o apoio incondicional de Donald Trump, seu aliado em Washington.

Na capital egípcia, os quatro chanceleres discutiram na segunda-feira maneiras de "fazer avançar o processo de paz no Oriente Médio e criar um ambiente adequado para a retomada do diálogo entre palestinos e israelenses", segundo um comunicado conjunto.

O grupo, que se reuniu pela primeira vez em fevereiro de 2020 em Munique, na Alemanha, e depois em Amã, na Jordânia, em setembro, anunciou que vai realizar a seu próximo encontro em Paris, sem especificar uma data.

Nesta segunda, em coletiva de imprensa, o ministro das Relações Exteriores da Jordânia, Aymane Safadi, destacou que o grupo busca "agir de forma a evitar que todas as medidas bloqueiem uma solução de dois Estados", visando um Estado palestino viável junto a Israel, uma condição há muito apoiada pela comunidade internacional.

Por sua vez, seu equivalente francês, Jean-Yves Le Drian, lembrou que a colonização israelense é "contrária ao direito internacional e, se continuar, reduzirá as possibilidades de criação de um Estado palestino".

Além disso, os quatro manifestaram seu desejo de "trabalhar junto com os Estados Unidos". O governo do presidente eleito, o democrata Joe Biden, se prepara para substituir o republicano Trump, com o objetivo de "facilitar as negociações".

De acordo com o grupo, essas negociações devem ocorrer "com base em parâmetros internacionalmente" reconhecidos.

Na manhã desta segunda, no Cairo, os quatro ministros se reuniram também com o presidente egípcio, Abdel Fatah al Sisi.

bur-emp/feb/age/eg/ic/mvv