Reunião do governador com prefeitos do Rio e Niterói termina sem definição sobre novas medidas de restrição

Lívia Neder
·2 minuto de leitura

Os prefeitos da Região Metropolitana ainda não chegaram a um consenso com o governador em exercício Cláudio Castro sobre a adoção de medidas mais restritivas contra a pandemia em todas as cidades, além da antecipação de feriados de abril. O reforço do distanciamento social foi discutido pelos prefeitos do Rio e de Niterói, Eduardo Paes e Axel Grael, em reunião no Palácio Laranjeiras, na manhã deste domingo.

A principal proposta do governo fluminense é a criação de um feriadão, de 26 de março a 4 de abril, que inclui a antecipação dos feriados de 21 (Tiradentes) e 23 (São Jorge), em abril, e cria novos feriados estaduais. A reunião deste domingo com o governador e os prefeitos terminou por volta das 11h e durou cerca de uma hora. Eduardo Paes e Axel Grael saíram sem falar com a imprensa.

Na sexta-feira, Paes e Castro já tinham feito uma reunião, na qual Paes ressaltou a "a necessidade de medidas com alcance metropolitano realmente eficazes". Os dois divergem sobre esse caminho mais radical nas restrições. O prefeito da capital fluminense já vinha se mostrando insatisfeito com a postura de seus pares em outras cidades do estado no combate à pandemia. O prefeito de Niterói também participou da reunião de sexta-feira, que também terminou sem um acordo entre os governantes.

A assessoria de imprensa de Paes informou que ele só vai se pronunciar nesta segunda, após reunião com o comitê comitê científico. Nesta segunda, o comitê carioca se reunirá e a prefeitura anunciará novas restrições, além do fechamento das praias.

No fim da tarde de sábado, Cláudio Castro convocou uma reunião de emergência com empresários do setor produtivo, onde teria sido discutida a proposta de um feriadão e escalas de horários diferentes para comércio, indústria e serviços, com objetivo de reduzir a circulação de pessoas. Os empresários acenaram positivamente às propostas do governador.

Mais cedo neste domingo, nas redes sociais, o prefeito de Niterói insistiu na importância de medidas mais duras pela vida dos moradores da Região Metropolitana. "É muito grave a situação da pandemia. Precisamos unir a Região Metropolitana para salvar vidas e minimizar o impacto na economia", escreveu Grael a caminho do Laranjeiras.

Em seu perfil no Twitter, Eduardo Paes chegou a afirmar que espera, na segunda, "anunciar novas medidas em consonância com o governo do estado. Na cidade do Rio, elas virão". Segundo o painel da secretaria estadual de Saúde, o estado do Rio registra até agora 618 mil casos de coronavírus e mais de 34 mil mortos. Até sábado, 481 pacientes esperavam por um leito de Covid-19 no SUS.