Revolta em Xangai por retorno ao confinamento

Habitantes de Xangai, novamente confinados apesar do levantamento das restrições anticovid na semana passada, manifestaram sua indignação nesta segunda-feira após dois meses de confinamento da cidade, constataram jornalistas da AFP.

A capital econômica chinesa, a cidade mais cosmopolita do país, foi confinada por etapas desde o fim de março em resposta a um recrudescimento do coronavírus no país.

Após levantar várias restrições nas últimas semanas, as autoridades permitem aos moradores de zonas de "baixo risco" circular livremente pela cidade.

Mas centenas de milhares de pessoas seguem submetidas a restrições e algumas devem ser confinadas novamente após descobrir casos de pessoas contaminadas.

Impedidos de deixar suas casas, dezenas de moradores de um complexo residencial no bairro de Xuhui, no centro de Xangai, criticaram os funcionários vestidos com trajes completos de proteção.

"Atendam a população" gritavam, através dos portões que separam suas casas da rua.

"Estou indignado!" disse um homem, que se identificou apenas como Li, por medo de represálias. Segundo ele, o moradores se revoltaram após um confinamento repentino do bairro, no sábado passado.

"Após dois meses de confinamento, já não aguentamos mais. Estamos todos negativos (em seu condomínio), então para que nos prender?", perguntou.

Os moradores do condomínio temem serem enviados a um centro de quarentena, segundo uma mídia local, numa mensagem que rapidamente foi censurada nas redes sociais.

A China é a única grande economia mundial que persiste em sua estratégia de "covid zero", sob a qual os casos positivos são isolados e, às vezes, todos os moradores de um edifício devem cumprir quarentena.

mjw/rox/aha/sbr/lch/me/mb/jc

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos