Revolução Islâmica foi um 'fracasso' para o Irã, diz Trump

1 / 2
Presidente dos EUA Donald Trump na Casa Branca, em Washington, em 11 de fevereiro de 2019

O presidente americano, Donald Trump, considerou nesta segunda-feira (11) que a Revolução Islâmica, ocorrida há quatro décadas, foi um "fracasso" para o país.

Em um tuíte escrito no aniversário da revolução, também publicado em persa, Trump afirmou: "40 anos de corrupção. 40 anos de repressão. 40 anos de terror. O regime do Irã produziu apenas 40 anos de fracasso".

"Os sofrido povo iraniano merece um futuro muito mais brilhante", acrescentou.

Mais cedo, o principal assessor de política externa do presidente Donald Trump, John Bolton, também tinha criticado a revolução.

"Foram 40 anos de fracasso, agora é a vez do regime iraniano mudar seu comportamento e, finalmente, o povo iraniano poderá determinar a direção de seu país", tuitou o conselheiro de Segurança Nacional a respeito do 40º aniversário da Revolução Islâmica.

Bolton disse que Washington apoiará "a vontade do povo iraniano e apoiará suas vozes".

Em Teerã, uma multidão foi às ruas celebrar, nesta segunda, os 40 anos da revolução de 1979, com a qual o líder muçulmano aiatolá Ruhola Jomeini derrubou o regime do xá Mohamad Reza Pahlavi.

O presidente iraniano, Hasan Rohani, garantiu à multidão presente que o "complô" americano contra a República Islâmica vai fracassar.

"A presença do povo nas ruas (...) significa que o inimigo não alcançará nunca seus objetivos diabólicos", disse Rohani a uma multidão, debaixo de chuva - considerada uma benção no país árido.