Ricardo Nunes diz que Haddad tenta se apropriar de UPAs que não fez

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
***ARQUIVO*** SAO PAULO/ SP, BRASIL, 11-04-2022: Ricardo Nunes, prefeito SP.  (Foto: Zanone Fraissat/Folhapress)
***ARQUIVO*** SAO PAULO/ SP, BRASIL, 11-04-2022: Ricardo Nunes, prefeito SP. (Foto: Zanone Fraissat/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), recebeu em tom crítico uma publicação do ex-prefeito Fernando Haddad (PT) a respeito de UPAs (Unidade de Pronto Atendimento) construídas na cidade.

O petista, que é pré-candidato ao Governo de São Paulo, escreveu: "Antes de eu ser prefeito de São Paulo, a capital não contava com nenhuma UPA, a maior cidade do Brasil não tinha uma única UPA, hoje nós temos 12 em funcionamento".

Nunes afirmou à reportagem que o tuíte de Haddad, "além de não ser verdadeiro" tem "nítida intenção de querer se apropriar de algo que absolutamente não fez".

"Ele deixou três UPAs, esqueceu de dizer que deixou seis esqueletos de construção parados. Hoje temos 23 UPAS em funcionamento, 20 novas após a gestão dele, e dessas inauguramos 9 nos últimos 10 meses", diz Nunes.

"O próprio relatório do Tribunal de Contas mostrou que ele não cumpriu 9 de 10 metas para a Saúde", afirma o prefeito.

Reportagem do jornal Folha de S.Paulo mostrou que Haddad, por exemplo, prometeu inaugurar três hospitais (Parelheiros, Brasilândia e Vila Matilde), mas, segundo auditoria do Tribunal de Contas do Município, não entregou nenhum deles, sendo que apenas 50% dos trabalhos previstos foram realizados.

Também afirmou que reformaria e melhoraria 20 prontos-socorros, usando como modelo conceitual as UPAs, além de implantar 5 novas UPAs. Segundo relatório técnico do TCM, realizado entre fevereiro e março de 2017, o prefeito petista cumpriu apenas 22,5% dessa meta.

Por meio de sua assessoria, Haddad afirma que "disse e reitera que, antes de assumir a prefeitura, a cidade de São Paulo não dispunha de uma única UPA, nem de Hospital-Dia. Ao término do seu mandato, havia 21 hospitais-dia e foram entregues três UPAs. Mais nove estavam em obras de execução, com recursos em caixa para serem concluídas."

Nunes assumiu o cargo em maio do ano passado, após a morte do então prefeito Bruno Covas (PSDB), que sucedeu João Doria (PSDB) no posto.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos