Vice-prefeito assume SP 'de surpresa' e garante que consultará Covas em decisões importantes

THIAGO AMÂNCIO
·3 minuto de leitura
Ricardo Nunes (à esquerda) garante que vai consultar Bruno Covas ao tomar decisões importantes a frente da gestão da capital paulista - Foto: Afonso Braga/Câmara de Vereadores
Ricardo Nunes (à esquerda) garante que vai consultar Bruno Covas ao tomar decisões importantes a frente da gestão da capital paulista - Foto: Afonso Braga/Câmara de Vereadores
  • Após afastamento de Bruno Covas (PSDB) por 30 dias, vice Ricardo Nunes assume capital paulista

  • Essa é a segunda licença do tucano no ano de 2021 para tratar de sua saúde

  • Nunes diz que não fará "qualquer mudança" nos rumos da gestão Covas

O vice-prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), passa a ser partir desta segunda-feira (3) prefeito em exercício, com o afastamento por 30 dias de Bruno Covas (PSDB), que se trata de um câncer no sistema digestivo. 

É a segunda licença de Covas, que, pouco após tomar posse, em 18 de janeiro, já havia pedido afastamento por dez dias para tratar da saúde. 

Leia também

Em conversa com a Folha no começo da noite deste domingo (2), Nunes disse que foi pego de surpresa pela decisão de licenciamento de Covas, afirma que não pensa em fazer qualquer mudança nos rumos da prefeitura e diz que vai consultar o tucano antes de tomar decisões importantes. 

Vice diz que foi pego de surpresa

Não estava esperando, né? Ele tomou a decisão hoje e me avisou. Foi realmente surpresa, mas de uma certa forma também não estou tão preocupado, porque o Bruno falou que são trinta dias para se dedicar exclusivamente ao tratamento, que não tem nada assim tão mais grave. Ele disse que tem plena confiança em mim. 

Consulta ao chefe

Lutando contra um câncer, Bruno Covas ficará afastado da Prefeitura por 30 dias - Foto: Roberto Casimiro/Fotoarena/Sipa USA via AP Images
Lutando contra um câncer, Bruno Covas ficará afastado da Prefeitura por 30 dias - Foto: Roberto Casimiro/Fotoarena/Sipa USA via AP Images

É com certeza temporário, certeza absoluta, por 30 dias. A gente vai continuar aqui no telefone, WhatsApp. Pelo que ele me falou, é para se dedicar um pouquinho mais ao tratamento. Queira ou não queira, mesmo ele estando em home office, tem toda hora uma série de questões que acabam desgastando. Acho que é importante dar uma concentrada agora. E eu só vou procurar ele para as coisas mais complexas, pra decidirmos juntos, assim como foi da outra vez, quando ele foi licenciado por duas semanas, e eu o consultei sobre volta às aulas, antecipação de feriados, e ele dando OK. Não o dia a dia, o corriqueiro. 

Preparo

Me sinto preparado para ocupar a cadeira nesses 30 dias. Nesses quatro meses do lado do Bruno, aprendi muito, a equipe montada é muito boa, está todo mundo muito entrosado. Os trabalhos vão continuar, eu vou continuar conversando com ele. 

Mudanças na prefeitura

Não farei absolutamente nenhuma mudança no rumo da prefeitura ou em secretariado, em hipótese alguma, isso nem me passou pela cabeça. Hoje o dia foi de ligações, normal, para os secretários, para saber como é que estão as coisas. Falei agora um pouco com o presidente da Câmara [Milton Leite], sobre essa parte burocrática do pedido de licenciamento. Trinta dias, o pessoal fica preocupado, mas não é algo que gerou um transtorno ou algo assim. 

Pedido aos paulistanos

Um pedido aos paulistanos é que façam oração pelo Bruno, é o que que a gente precisa fazer agora, pensamento positivo pra nesses trinta dias ele poder se recuperar e voltar mais forte. De coração, é isso.