Richard empreendeu “na raça”, buscou capacitação aos 42 anos e garante: “Não vou parar de estudar”

Redação Notícias
·2 minuto de leitura
Foto: arquivo pessoal

Inquieto. Um adjetivo que serve tanto ao bom empreendedor quanto ao bom estudante. E que, por isso, encaixa-se com perfeição na descrição de Richard Douglas Ribeiro, um empreendedor-estudante que não aguenta ficar parado no mesmo lugar. Foi assim que se tornou aluno do primeiro período de gestão de RH na graduação EAD do Senac, enquanto segue administrando sua empresa de manutenção de motocicletas em São Paulo.

Inquietude que se manifestou quando Richard ainda era criança. Apaixonado por bicicletas e ciclomotores, aproveitou que o irmão, Júlio, havia feito curso de mecânica e plantou a semente do negócio. Comprou uma bicicleta motorizada danificada e a entregou a Júlio, que a colocou em pleno funcionamento. Viu, ali, a oportunidade: “Passei a fazer marketing do meu irmão. Espalhava para todo mundo que ele consertava. Depois, aprendi a fazer com ele”.

Não demorou para que a dupla abrisse uma oficina de motos. Ainda adolescente, aos 15 anos, Richard se tornava um empreendedor “na raça”, em suas próprias palavras. Quando veio o primeiro filho, aos 20, a vontade de fazer seu negócio dar certo virou necessidade. Inteligente, diversificou. Hoje, tem até uma escola de mecânica de motos.

Busca por educação formal

Passado algum tempo, a falta de educação formal começou a incomodar. A inquietude, velha companheira, voltou. Desconfortável por avaliar que tinha dificuldades de falar corretamente, contratou uma professora de português. A busca por capacitação, porém, foi além. “Passei a pensar na vida e me perguntar: ‘onde eu quero chegar?’”.

A resposta a essa pergunta o levou à sala de aula virtual do Senac. Aluno de graduação em gestão de RH, já tem uma vida acadêmica planejada na cabeça. “Não vou parar de estudar. Vi que na minha empresa, para poder crescer, tenho que buscar conhecimento lá fora”, diz Richard.

Uma busca, aliás, que ele pretende transformar em sua atividade principal. Quer terminar a graduação e emendar mestrado e doutorado – confiante, diz que já sabe até o tema da tese. Sua meta é ser professor, compartilhar as experiências de quem aprendeu no dia a dia. Assim, quem sabe, vai ensinar a novos empreendedores-alunos o valor da inquietude que impulsionou sua trajetória.