Rio coleciona casos trágicos de balas perdidas no último mês

Luana Santiago
·2 minuto de leitura
Reprodução
Reprodução

RIO - Era para ser uma noite festiva, de celebração do aniversário de 12 anos de um primo, mas virou um drama para a adolescente Júlia Borges, de 17, e sua família. Enquanto todos comemoravam na varanda de um apartamento na Tijuca, ela foi atingida por um tiro nas costas, aumentando a lista de cariocas alvejados por balas perdidas nas últimas semanas. A jovem foi levada para o hospital Quinta D’Or, em São Cristóvão, e, até a noite de domingo, seu quadro clínico permanecia estável.

A Polícia Civil afirmou que esteve no apartamento da família para investigar o caso, que foi registrado na 19ª DP (Tijuca). Ainda não há pistas de onde partiu o tiro. Procurada pelo GLOBO, a Polícia Militar não informou se havia operações na região. Confirmou apenas que uma equipe do 4º BPM (São Cristóvão) foi acionada para verificar a chegada de uma pessoa baleada ao hospital Quinta D’Or.

Infelizmente, a triste história de Júlia tem virado rotina. No mês passado, o Rio registrou vários casos de vítimas de balas perdidas. No último dia 27, Maiara Oliveira da Silva, de 20 anos, a foi baleada durante a operação da Polícia Civil no Complexo da Maré. O bebê não resistiu.

Em 23 de outubro, uma mulher morreu também após ser atingida por uma bala perdida na Praça da Apoteose, no Centro. Lady Ane Paulina, de 34 anos, estava com a namorada, fechando o trailer na Rua Frei Caneca, perto da Praça da Apoteose, em que as duas vendiam churrasquinho quando foi atingida por um tiro na cabeça durante uma perseguição de PMs a um carro onde havia suspeitos.

Dias antes, no dia 19, Caio Gomes Soares, de 23 anos, morreu após ser atingido dentro de casa, na Rua Miguel de Paiva, no Catumbi, na região central do Rio. Por volta das 7h, o jovem levantou da cama e foi ferido na cabeça. Ele morreu no local.

Também em outubro, um cadeirante foi baleado no braço, durante um tiroteio no bairro Jardim América, na Zona Norte do Rio. Na ação, um policial militar também se feriu na cabeça.

No Dia das Crianças, o motorista Ismael Souza do Nascimento foi atingido na cabeça por bala perdida, durante tiroteio entre bandidos e policiais na Avenida Brasil. Na mesma troca de tiros, o sargento Cirio Damasceno Santos, de 51 anos, que estava no banco do carona de uma patrulha da PM, do 14ºBPM (Bangu), foi baleado no rosto e morreu logo após ser socorrido.