Rio espera remessa da Pfizer para retomar a vacinação de adolescentes na próxima quinta, diz secretário de Saúde

·3 minuto de leitura

O secretário municipal de Saúde do Rio, Daniel Soranz, afirmou nesta terça-feira que a vacinação de adolescentes com 17 anos deve ser retomada na próxima quinta-feira (26). O volume esperado de vacinas, de acordo com ele, é suficiente para a imunização de mulheres (na quinta) e homens (na sexta, 27) com esta idade.

— O Ministério da Saúde já recebeu um lote de 1 milhão de vacinas da Pfizer. A parte deste total que cabe ao Rio chegará amanhã (25), às 14h, e será imediatamente distribuída. Na quinta, esperamos vacinar as mulheres com 17 anos e, na sexta, os homens — disse ao GLOBO.

Soranz afirmou que a Secretaria Municipal de Saúde espera receber um novo lote de vacinas no sábado para dar continuidade à campanha de vacinação na segunda-feira (30).

Vacinação de adolescentes com deficiência

Por conta da insuficiência de vacinas para imunizar adolescentes, a capital começou nesta segunda-feira (23) a vacinar apenas adolescentes com deficiência a partir dos 12 anos. O município também segue imunizando gestantes, puérperas e lactantes, além de fazer repescagem da aplicação da primeira dose para os adultos acima de 25 anos.

— (Ontem) A gente faz um dia de vacinação muito especial. Vacinamos adolescentes com deficiência. A nossa expectativa é vacinar 30 mil adolescentes com deficiência. Esperamos uma nova remessa da vacina da Pfizer previstas para ser entregue nesta terça-feira para que a gente possa começar a vacinar o grupo de 17 anos que estava previsto para hoje. A nossa expectativa de pessoas a serem vacinadas nessa faixa etária de 16 anos está em torno de 40 mil doses e de 17 anos tá em torno de 69 mil pessoas — destacou o secretário.

Os adolescentes com deficiência precisam apresentar: laudo da rede pública ou particular; cartões de gratuidade no transporte público; documentos comprobatórios de atendimento em centros de reabilitação ou unidades especializadas no atendimento de pessoas com deficiência; documento oficial de identidade com a indicação de deficiência ou qualquer outro documento que aponte o tratamento.

Na Cidade das Artes, a filha caçula do senador Romário (PL-RJ), Ivy Faria, de 16 anos, recebeu a primeira dose das mãos do secretário de saúde. A jovem tem síndrome de down.

A relações públicas Denise Aragão, de 48 anos, é mãe de João Pedro Aragão, de 17, que é autista. Ele recebeu a primeira dose nesta manhã.

— É um alívio imenso. Dia muito aguardado porque essa é uma parcela da população que deveria ter sido vacinada antes pelas comorbidades. Eles têm uma facilidade de pegar a Covid — lembra Denise. — A gente conversou com ele sobre o dia da vacina. Ele ficou em uma quarentena muito rígida, e nessa noite eu não dormir. A vacina é esperança e salva vidas — destaca.

Após ser imunizado João disse:

— Eu adoro passear e agora vamos poder fazer isso vacinado.

Outro que foi vacinado com o pai foi o estudante Felipe Almeida, de 17 anos, que tem síndrome de down.

— Eu estou muito feliz. Há dias eu esperava essa dose. Eu estou fora desde a pandemia e fiquei estudando de casa — disse após ser vacinado.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos