Rio: Freixo desvia de pergunta e não diz se votará em Molon ou Ceciliano

Freixo desvia de pergunta e não diz se votará em Molon ou Ceciliano. (Photo by MAURO PIMENTEL / AFP) (Photo by MAURO PIMENTEL/AFP via Getty Images)
Freixo desvia de pergunta e não diz se votará em Molon ou Ceciliano. (Photo by MAURO PIMENTEL / AFP) (Photo by MAURO PIMENTEL/AFP via Getty Images)

Marcelo Freixo (PSB), que disputa as eleições para governo do Rio de Janeiro, reforçou que o "voto é secreto" ao ser questionado sobre em quem votará para o Senado no estado. Sem acordo entre PT e PSB, a campanha de Freixo diz apoiar os candidatos Alessandro Molon (PSB) e André Ceciliano (PT), apesar da campanha já ter colocado o presidente da Alerj em palanque com Lula e demais apoiadores.

"Acho que tem do nosso lado os dois melhores candidatos", afirmou durante debate promovido pelo O Globo, Extra, a rádio CBN e o Valor Econômico. Na mesma oportunidade, ele foi perguntado 2 vezes sobre sua aliança com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Por conta da divergências de apoios a candidaturas no Rio de Janeiro, Lula cancelou a ida ao comício que participaria com seu candidato a governo do estado. Lideranças do Partido dos Trabalhadores atribuíram a mudança de ideia sobre o evento a Eduardo Paes, prefeito do Rio, que convidou Lula para encontro no mesmo dia.

A agenda estava marcada para o dia 25: pela manhã, Lula estará com Paes na quadra da Portela, em Madureira. O comício com Freixo estava confirmado para 16h na Lapa. No debate desta quinta-feira (22), Freixo afirmou que o cancelamento ocorreu para preservar a voz de Lula, mas que haverá atividade interna com o petista na tarde de domingo.

"Quero que mais gente apoie o presidente Lula porque se ele ganhar no primeiro turno vai nos ajudar muito a ganhar aqui no segundo turno", disse.

Pesquisas eleitorais, como saber em quais posso confiar?

Em meio a essa diversidade de levantamentos existentes no Brasil, muitos eleitores não sabem em quais resultados acreditar.

No primeiro dia do ano passou a ser obrigatório (leia a resolução clicando aqui)o registro junto à Justiça Eleitoral de qualquer pesquisa pública relacionada às eleições para presidente e governador. Porém, se uma pesquisa está registrada não necessariamente significa que ela será confiável, isso porque não há nenhum tipo de fiscalização prévia sobre a metodologia desses levantamentos.

Atualmente, a confiabilidade das pesquisas é garantida no Brasil por meio da transparência. São algumas das informações que devem ser cadastradas junto à Justiça Eleitoral, tornando as pesquisas passíveis de contestação, caso qualquer irregularidade seja encontrada posteriormente:

  • Nome do contratante

  • Valor cobrado pela pesquisa

  • Origem dos recursos investidos

  • Metodologia

  • Período de realização

  • Sistema de fiscalização da coleta de dados

  • Tipo de questionário aplicado

Para identificar os atributos que mais merecem atenção nas pesquisas eleitorais, a reportagem do Yahoo! Notícias conversou com alguns especialistas no assunto e separou uma lista com os pontos mais importantes, confira aqui.

Qual a data das Eleições 2022?

O primeiro turno das eleições será realizado no dia 2 de outubro, um domingo. Já o segundo turno – caso necessário – será disputado no dia 30 de outubro, também um domingo.

Veja a ordem de escolha na urna eletrônica nas Eleições 2022

  1. Deputado federal (quatro dígitos)

  2. Deputado estadual (cinco dígitos)

  3. Senador (três dígitos)

  4. Governador (dois dígitos)

  5. Presidente da República (dois dígitos)