Rio Grande do Sul identifica primeiro caso da subvariante Ômicron BQ.1 do coronavírus

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Centro Estadual de Vigilância em Saúde e a SES-RS (Secretaria Estadual da Saúde do Rio Grande do Sul) detectaram o primeiro caso da subvariante Ômicron BQ.1 no estado. A sublinhagem está associada ao aumento recente de casos de Covid-19 na Europa e, no Brasil, já foi localizada também no Amazonas e no Rio de Janeiro.

De acordo com a SES-RS, a subvariante foi identificada na última sexta-feira (4), na amostra de uma paciente residente na região metropolitana de Porto Alegre e internada na capital para tratamento de síndrome respiratória aguda grave.

Diante da confirmação, a secretaria informou que vai intensificar a realização de sequenciamento genético das amostras para compreender a dinâmica de transmissão da subvariante na região e reforçou a importância das vacinas.

"A variante BQ.1 tem apresentado uma capacidade de transmissão que preocupa as autoridades de saúde de diferentes países. Essa variante tem sido relacionada ao aumento dos números de novos casos em diferentes regiões.", disse em nota Richard Steiner Salvato, coordenador da Vigilância Genômica no estado.

"A principal preocupação é em relação àquela parcela da população que está em atraso ou não fez as doses de reforço da vacina contra Covid-19, pois esses indivíduos estão mais suscetíveis a contrair a doença, mas também terem uma apresentação mais grave", completou Salvato. Apenas no Rio Grande do Sul, são mais de 3 milhões de pessoas com a dose de reforço em atraso.

Além da necessidade de completar o esquema vacinal, a pasta reforçou medidas como a utilização de máscara e a realização de testes para confirmação do diagnóstico.